Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte Medieval de Alvalade - detalhe

Designação

Designação

Ponte Medieval de Alvalade

Outras Designações / Pesquisas

Ponte Medieval sobre a Ribeira de Campilhas / Antiga ponte sobre a ribeira de Campilhas (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Setúbal / Santiago do Cacém / Alvalade

Endereço / Local

Ribeira de Campilhas
Alvalade

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

Aviso n.º 7510/2004, DR, 2.ª, n.º 236, AP. Apêndice N.º 122, de 7-10-2004 (ver Aviso)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
A chamada Ponte Medieval de Alvalade foi construída sobre o antigo leito da Ribeira de Campilhas, junto à localidade de Alvalade do Sado.
A ponte apresenta um tabuleiro rampeado, composto por três planos em alvenaria rebocada, assente sobre um conjunto de cinco arcos abatidos com aduelas de ladrilho cerâmico. Na fachada sul apresenta, junto aos pegões, contrafortes semicilíndricos, que poderão ter funcionado originalmente como talhamares. O alçado oposto é idêntico, embora não apresente contrafortes junto à arcaria.
História
Embora a tradição local atribua a construção da ponte à época medieval (tradição essa que se reflete na própria designação da classificação), a Ponte de Alvalade terá sido edificada no século XVII, possivelmente em substituição de uma passagem mais antiga. Esta passagem estaria integrada no sistema viário que desde o período romano permitia a ligação entre a cidade de Miróbriga e Vipasca, a atual Aljustrel, eixo viário que não deverá ter perdido totalmente a sua importância durante o período medieval.
Originalmente, a ponte unia as margens da Ribeira de Campilhas, cujo curso foi desviado alguns metros para oeste, em meados do século XX, em virtude de obras de irrigação agrícola. Rodeada atualmente por vastos campos agrícolas, a estrutura destaca-se pela sua dimensão, pouco frequente naquela região do Alentejo litoral, marcando de forma significativa a paisagem.
No ano de 2001 a Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, em conjunto com a Câmara Municipal de Santiago do Cacém, procedeu a obras de reabilitação da ponte, com a limpeza da zona envolvente, a estabilização da estrutura, o restauro das guardas e a recuperação do pavimento.
Em 2004 a Ponte de Alvalade era classificada como de interesse municipal.
Catarina Oliveira
DGPC, 2019

Imagens