Saltar para o conteúdo principal da página

Fonte do Goducho ou Fonte do Mergulho - detalhe

Designação

Designação

Fonte do Goducho ou Fonte do Mergulho

Outras Designações / Pesquisas

Fonte de Mergulho do Goducho (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Fonte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Fundão / Soalheira

Endereço / Local

Rua da Fonte do Goducho
Soalheira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

Edital n.º 1084/2010, DR, 2.ª série, n.º 211, de 29-10-2010 (ver Edital)
Enviada cópia do processo pelo Ministério da Cultura à CM de Fundão, em 23-06-2010, a fim de ponderar a conclusão do procedimento
Despacho de homologação de 23-09-1980
Parecer de 19-09-1980 da Comissão "ad hoc" do IPPC a propor a classificação como VC
Proposta de classificação de 12-08-1980 da DG do Turismo

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Embora a povoação de Soalheira tenha sido povoada no reinado de D. Sancho I, há vestígios de que esta zona seria ocupada em tempos anteriores, estando integrada no percurso de uma via romana.
Ao longo da Idade Média, e à semelhança do que aconteceu em diversas localidades do interior beirão, a freguesia foi ocupada por uma comunidade judaica, que no início do século XVI se converteram em cristãos-novos , havendo nas portadas das casas vestígios gravados desta conversão forçada.
Soalheira apresenta um interessante núcleo de casas quinhentistas, e terá sido precisamente na centúria de Quinhentos que foi edificada a fonte de mergulho do Goducho, um modelo arquitectónico civil muito popularizado no nosso país que permitia um abastecimento em larga escala as populações, inspirado nas estruturas hidráulicas romanas.
A Fonte do Goducho, situada na zona mais antiga da vila, apresenta planimetria rectangular, sendo coberto por uma estrutura de cantaria que forma uma espécie de alpendre. Este espaço, rasgado por um vão em arco quebrado, é coroado com merlões e interiormente coberto com abóbada de berço. Originalmente dispunham-se no interior pequenos bancos de pedra.
Catarina Oliveira
IPPAR/2003

Imagens