Saltar para o conteúdo principal da página

Fonte do Goducho ou Fonte do Mergulho - detalhe

Designação

Designação

Fonte do Goducho ou Fonte do Mergulho

Outras Designações / Pesquisas

Fonte de Mergulho do Goducho (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Fonte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Fundão / Soalheira

Endereço / Local

Rua da Fonte do Goducho
Soalheira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

Edital n.º 1084/2010, DR, 2.ª série, n.º 211, de 29-10-2010 (ver Edital)
Enviada cópia do processo pelo Ministério da Cultura à CM de Fundão, em 23-06-2010, a fim de ponderar a conclusão do procedimento
Despacho de homologação de 23-09-1980
Parecer de 19-09-1980 da Comissão "ad hoc" do IPPC a propor a classificação como VC
Proposta de classificação de 12-08-1980 da DG do Turismo

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
A Fonte do Goducho situa-se na zona mais antiga da vila da Soalheira, encontrando-se inserida num muro em alvenaria de granito que é paralelo ao caminho público. A fonte possui um acesso abaixo do nível do solo, acesso este definido por muros de suporte que configuram uma plataforma rebaixada de planta retangular com um lanço de degraus.
Construída em silhares de granito de aparelho isódomo sem revestimento, esta fonte terá sido erguida na centúria de Quinhentos, época em que a localidade assistiu a um maior desenvolvimento. A estrutura segue um modelo arquitetónico civil muito popularizado no nosso país permitindo um abastecimento em larga escala às populações.
Apresenta uma planimetria retangular em pedra com cunhais, destacando-se um vão em arco quebrado de acesso à fonte, bem como o coroamento com três merlões piramidais. No interior o espaço possuiu uma pequena abóbada de berço sob o tanque de receção da água. Antes da reformulação do largo existiam, em redor da fonte, alguns bancos de pedra de apoio à população que aí aguardava a sua vez, algo habitual em outras fontes públicas da mesma tipologia.
Depois de tantos séculos de uso a fonte continua a jorrar água e, a que não é aproveitada é canalizada para um tanque circular denominado de repuxo que se encontra um pouco mais abaixo e onde se podem observar peixes de variados tipos.

História
Embora a povoação de Soalheira tenha sido habitada no reinado de D. Sancho I, existem vestígios de ocupações anteriores, encontrando-se integrada no percurso de uma antiga via romana.
Ao longo da Idade Média, e à semelhança do que aconteceu em diversas localidades do interior beirão, a freguesia foi ocupada por uma comunidade judaica que, no início do século XVI, se teve de converter ao cristianismo, observando-se, em algumas portadas das casas, cruzes esculpidas testemunhos desta conversão forçada.
A Soalheira apresenta ainda um interessante núcleo de casas quinhentistas podendo assim inferir-se que a fonte poderá ser da mesma época.

Maria Ramalho/DGPC/2019.

Imagens