Saltar para o conteúdo principal da página

Quinta de Nossa Senhora da Conceição, incluindo o celeiro, o pombal, a nora e o jardim - detalhe

Designação

Designação

Quinta de Nossa Senhora da Conceição, incluindo o celeiro, o pombal, a nora e o jardim

Outras Designações / Pesquisas

Casa da Quinta de Nossa Senhora da Conceição (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Quinta

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Setúbal / Almada / Caparica e Trafaria

Endereço / Local

EN 377 - Quinta de Nossa Senhora da Conceição
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 8/83, DR, I Série, n.º 19, de 24-01-1983 (ver Decreto)
Edital N.º 10 de 28-01-1981 da CM de Almada
Despacho de homologação de 2-09-1980
Parecer de 29-08-1980 da COISPCN a propor a classificação como VC
Proposta de classificação de 8-03-1978 do FFH

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A construção da casa da Quinta da Conceição deverá remontar à primeira metade do século XVIII, surgindo no portal a data de 1749. Todavia, o imóvel que hoje conhecemos resulta das intervenções de que foi objecto, ao longo do século XIX, e que lhe acrescentaram a balaustrada do corpo principal, bem como boa parte dos elementos decorativos. Já da década de 1990, as intervenções tiveram como objectivo a adaptação da quinta a escola, aqui funcionando, ainda, o Centro de Formação Sindical de Aperfeiçoamento Profissional.
A fachada principal, de dois pisos e seccionada por pilastras, destaca-se pelas janelas de sacada (de verga curva com conchas a eixo), num dos panos, sendo azulejada ao nível do andar superior, destinado a habitação. No primeiro localizavam-se os arrumos e no terceiro outros compartimentos diversos.
Das dependências agrícolas que deveriam apoiar a quinta, destaca-se o celeiro e a nora, existindo ainda um pombal circular.
Longe ficou a época da exploração agrícola, tendo a quinta sido reutilizada enquanto escola, mas não deixando de testemunhar a vivência rural de toda esta zona da Costa da Caparica e das muitas quintas com as suas respectivas casas que aí existiam.
(Rosário Carvalho)

Imagens