Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia de Vimieiro - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia de Vimieiro

Outras Designações / Pesquisas

Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Vimieiro(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Arraiolos / Vimieiro

Endereço / Local

Rua da Misericórdia
Vimieiro

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Fundada em 1550, por iniciativa de D. Francisco de Faro e Noronha, donatário da vila, a Misericórdia de Vimieiro edificou o seu templo na segunda metade do século XVI. Esta irmandade iria substituir a medieva Confraria do Espírito Santo, passando a administrar os bens desta. O grande patrocinador da obra da igreja foi Jacinto de Faria Barreto, que instituiu missa quotidiana e foi sepultado no interior da mesma. À irmandade pertencia ainda o hospital da vila.
No século XVII foram executados os painéis de azulejos que decoram o interior, e na centúria seguinte foi executado o retábulo-mor bem como um novo portal principal.
A igreja da Misericórdia de Vimieiro apresenta um modelo quinhentista vernacular, de planta longitudinal composta por nave única e capela-mor, sendo esta de menores dimensões e contrafortada. A fachada principal, rematada em empena, possui no primeiro registo portal de moldura recta, rematada em cornija contracurvada, encimado por painel de azulejos com representação da Mater Omnium, de origem espanhola, que terá sido concebido como se fosse uma bandeira.
O revestimento azulejar que decora o interior do templo, executado na segunda metade do século XVII, apresenta padrão de "massaroca de pintinhas", decorado por cercaduras de acantos (SIMÕES, Santos, 1971). O retábulo, de talha dourada e policroma, tem estrutura nacional, embora apresenta elementos decorativos joaninos.
As bandeiras da Misericórdia são compostas por telas maneiristas com cenas da Paixão de Cristo, um Ecce Homo barroco, e uma Visitação, que poderá ter pertencido ao retábulo original da igreja executado em meados do século XVI.
Catarina Oliveira
GIF/ IPPAR/ 2005

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - vol. VIII (Distrito de Évora, Zona Norte, volume I)

Local

Lisboa

Data

1975

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

Azulejaria em Portugal no século XVII

Local

Lisboa

Data

1971

Autor(es)

SIMÕES, J. M. dos Santos

Título

As Misericórdias

Local

Lisboa

Data

1897

Autor(es)

GOODOLPHIM, Costa