Saltar para o conteúdo principal da página

Casa na Rua do Outeiro (actual Rua José Estêvão), 28 e 30 - detalhe

Designação

Designação

Casa na Rua do Outeiro (actual Rua José Estêvão), 28 e 30

Outras Designações / Pesquisas

Casa na Rua do Outeiro, n.º 28 e 30 / Edifício na Rua José Estêvão, n.º 28 e 30 (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Abrantes / Abrantes (São Vicente e São João) e Alferrarede

Endereço / Local

Rua dos Condes de Abrantes (Antiga Rua da Boga)
Abrantes

Rua José Estêvão (Antiga Rua do Outeiro)
Abrantes

Número de Polícia: 28

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (Nota - O decreto considerou incorretamente os números 28 e 30 como dois imóveis distintos) (ver Decreto)
Edital de 2-01-1976 da CM de Abrantes
Despacho de homologação de 18-03-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer favorável de 7-03-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE
Proposta do delegado da JNE no concelho para a classificação como VC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Rua José Estêvão corresponde à antiga Rua do Outeiro, mencionada na documentação desde a segunda metade do século XIV (CAMPOS, 1989, p. 111). Tem início no largo junto à Casa da Câmara, prolongando-se, através de uma artéria sinuosa e íngreme, pela Rua Marquês de Pombal. Aqui se encontram vários imóveis de interesse histórico-artístico, entre os quais o número 28-30, situado na esquina desta artéria com a Rua dos Condes de Abrantes.
Trata-se de um edifício de três andares, desenvolvido em altura, de linhas simples e sem qualquer elemento decorativo relevante. Pelo contrário, as molduras dos diversos vãos são rectas e apenas pintadas de amarelo, tal como as pilastras e a cimalha. No piso térreo rasgam-se três portas, sobrepondo-se à central, uma janela de sacada no primeiro andar e uma janela no último. Na fachada da Rua dos Condes de Abrantes, mais estreita, encontramos um vão por cada piso - uma porta no piso térreo, e uma janela em cada andar.
As suas características permitem inseri-lo no conjunto de edifícios de arquitectura corrente existentes em Abrantes, e edificados, muito possivelmente, entre os séculos XVIII e XIX.
(RC)

Imagens

Bibliografia

Título

Toponimia Abrantina.

Local

-

Data

-

Autor(es)

CAMPOS, Eduardo