Saltar para o conteúdo principal da página

Casa na Rua da Boga (condes de Abrantes), 42 e 44 - detalhe

Designação

Designação

Casa na Rua da Boga (condes de Abrantes), 42 e 44

Outras Designações / Pesquisas

Casa na Rua do Boga, n.º 42 e 44/ Casa na Rua Condes de Abrantes, n.º 42 e 44(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Abrantes / Abrantes (São Vicente e São João) e Alferrarede

Endereço / Local

Rua dos Condes de Abrantes (Antiga Rua da Boga)
Abrantes

Número de Polícia: 42 a 44

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (Nota - O decreto considerou incorretamente os números 42 e 44 como dois imóveis distintos) (ver Decreto)
Edital de 2-01-1976 da CM de Abrantes
Despacho de homologação de 18-03-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer favorável de 7-03-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE
Proposta do delegado da JNE no concelho para a classificação como VC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A antiga Rua da Boga é referida na documentação de 1429, e estudos recentes de Eduardo Campos defendem que, nesta área, se situava a judiaria de Abrantes, nos séculos XIV e XV (CAMPOS, 1989, pp.18-19). De facto, documentos coevos aludem à proximidade entre a judiaria e a Casa da Câmara, cuja localização se pensa corresponder aos actuais Paços do Concelho (CAMPOS, 1989, p. 19).
O imóvel com os números 42-44 encontra-se no outro extremo da rua, estreita e sinuosa, desenvolvendo-se em dois volumes de altura diferenciada, mas ambos com três pisos. Todo o conjunto revela, na sua fachada, uma ausência de simetria, com vãos de formato e dimensões variáveis, sem qualquer elemento decorativo. O volume de menores dimensões é rasgado por uma porta no piso térreo, e uma janela em cada um dos andares superiores. No outro corpo, uma porta e uma janela abrem-se no rés do chão, e nos restantes pisos encontramos uma janela e um pequeno óculo.
A sobriedade decorativa que esteve na origem desta habitação não nos permite avançar com um cronologia muito precisa, mas é possível que a sua construção remonte aos século XVIII ou XIX. De qualquer forma, este imóvel deverá ser contemporâneo do restante núcleo de habitações setecentistas e oitocentistas que ainda hoje caracteriza muitas das ruas do centro histórico de Abrantes, e cuja importância, enquanto conjunto próprio de uma época de crescimento e de desenvolvimento, tem vindo a ser valorizada. De facto, este género de edifício encontra-se bastante afastado dos modelos arquitectónicos eruditos, mas não deixa, por isso, de testemunhar a vitalidade construtiva que a cidade conheceu entre os séculos XVIII e XIX.
(RC)

Imagens

Bibliografia

Título

Toponimia Abrantina.

Local

-

Data

-

Autor(es)

CAMPOS, Eduardo