Saltar para o conteúdo principal da página

Casa na Rua dos Oleiros (do Brasil), 53 e 55 - detalhe

Designação

Designação

Casa na Rua dos Oleiros (do Brasil), 53 e 55

Outras Designações / Pesquisas

Casa na Rua dos Oleiros, n.º 53 e 55 / Rua do Brasil, n.º 53 e 55(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Abrantes / Abrantes (São Vicente e São João) e Alferrarede

Endereço / Local

Rua dos Oleiros (do Brasil)
Abrantes

Número de Polícia: 53

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (Nota - O decreto considerou incorretamente os números 53 e 55 como dois imóveis distintos) (ver Decreto)
Edital de 2-01-1976 da CM de Abrantes
Despacho de homologação de 18-03-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer favorável de 7-03-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE
Proposta do delegado da JNE no concelho para a classificação como VC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada mais próxima do final da antiga Rua dos Oleiros, hoje designada por Rua do Brasil, a casa correspondente aos números 53-55 acompanha, como as restantes fachadas que definem esta artéria, a sinuosidade da rua, integrando-se na depuração decorativa que evidencia grande parte das habitações. Contudo, este imóvel acaba por se destacar devido às características populares bem visíveis na rusticidade das molduras dos vãos e na ausência de qualquer elemento decorativo e de cimalha ou pilastras.
Se boa parte das habitações setecentistas e oitocentistas da cidade se enquadram na denominada arquitectura utilitária, outros exemplos há de procura de distanciamento em relação a estes modelos, num esforço de actualização estética e decorativa que, em todo o caso, se encontra bastante longe das arquitecturas eruditas do período. No caso do imóvel n.º 53 e 55, é indiscutível a sua feição mais popular, onde nem sequer foi respeitada a regularidade e simetria na abertura dos vãos.
Assim, no piso térreo observamos duas portas cujas molduras são sugeridas pela pintura em tons de amarelo, tal como acontece nas janelas que se distribuem nos outros dois pisos. O vão intermédio apresenta um parapeito mais avançado, onde se encontram vasos com flores.
(RC)

Imagens

Bibliografia

Título

Toponimia Abrantina.

Local

-

Data

-

Autor(es)

CAMPOS, Eduardo