Saltar para o conteúdo principal da página

Casa na Rua de Santa Isabel, 4 a 10 - detalhe

Designação

Designação

Casa na Rua de Santa Isabel, 4 a 10

Outras Designações / Pesquisas

Casa na Rua de Santa Isabel, n.º 4 a 10(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Abrantes / Abrantes (São Vicente e São João) e Alferrarede

Endereço / Local

Rua de Santa Isabel (Antiga Rua Cega)
Abrantes

Número de Polícia: 4

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (Nota - O decreto considerou incorretamente os números 4 e 10 como dois imóveis distintos) (ver Decreto)
Edital de 2-01-1976 da CM de Abrantes
Despacho de homologação de 18-03-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer favorável de 7-03-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE
Proposta do delegado da JNE no concelho para a classificação como VC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Designada por Rua Cega até 1836, a actual Rua de Santa Isabel apresenta um conjunto de imóveis classificados que foram edificados entre os séculos XVIII e XIX, a que se acrescentam outras habitações situadas na artéria que constitui o prolongamento desta. Tal como as restantes casas setecentistas e oitocentistas da cidade de Abrantes, também estas se encontram numa das ruas mais antigas, testemunhando a renovação urbana e arquitectónica ocorrida a partir do século XVIII, muito possivelmente, fruto de uma burguesia em ascensão. Contudo, no caso de Abrantes, e apesar do crescimento da indústria (particularmente da seda, implantada pelo Marquês de Pombal), é evidente o cariz popular de grande parte das construções, habitadas no século XVIII por mareantes, pescadores, farinheiros e hortelãos (CAMPOS, 1982, p. 139).
O número 4 a 10 da Rua de Santa Isabel enquadra-se no que acabámos de referir, desenvolvendo-se em dois pisos, o primeiro destinado a serviços e o segundo a habitação, onde é visível uma janela de sacada, como símbolo da sua maior importância.
Nesta medida, este conjunto de imóveis ganha especial relevância se analisado no seu conjunto e não de forma individualizada, pois constitui um núcleo de relativa homogeneidade, que importa preservar e valorizar. (RC)

Imagens

Bibliografia

Título

Toponimia Abrantina.

Local

-

Data

-

Autor(es)

CAMPOS, Eduardo