Saltar para o conteúdo principal da página

Casa na Rua Grande (Santos e Silva), 6 a 12 - detalhe

Designação

Designação

Casa na Rua Grande (Santos e Silva), 6 a 12

Outras Designações / Pesquisas

Casa na Rua Grande, n.º 6 a 12 (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Abrantes / Abrantes (São Vicente e São João) e Alferrarede

Endereço / Local

Rua Santos e Silva (também conhecida por Rua Grande)
Abrantes

Número de Polícia: 6 a 12

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (Nota - o diploma de classificação refere incorrectamente duas classificações distintas, quando se trata do mesmo imóvel) (ver Decreto)
Edital de 2-01-1976 da CM de Abrantes
Despacho de homologação de 18-03-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer favorável de 7-03-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE
Proposta do delegado da JNE no concelho para a classificação como VC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada numa das mais significativas artérias da cidade de Abrantes, o imóvel correspondente aos n.º 6 a 12 da Rua Grande encontra-se relativamente próximo da Igreja de São Vicente, um templo quinhentista, reformado em 1569, cujo pórtico revela a importante dinâmica da arquitectura maneirismo nesta localidade.
Contudo, esta Casa deverá ter sido construída no século XIX, um pouco à semelhança do que aconteceu com os restantes imóveis da mesma rua, edificados entre o final do século XVIII e a centúria de Oitocentos. Este, acompanha o declive da via pública, desenvolvendo-se em três andares - o primeiro alterna uma série de portas com pequenas frestas rectangulares, o segundo é, todo ele, rasgado por janelas de sacada, e o terceiro por janelas abertas junto à cimalha.
Naturalmente, e respeitando um modelo de épocas anteriores, a fachada muito longa denota grande simetria na colocação dos vãos, ao mesmo tempo que privilegia o tratamento do primeiro piso, também denominado por andar nobre, onde as sacadas são protegidas por gradaria em ferro forjado.
Mais tarde, e de alguma forma, corrompendo a inicial componente habitacional unifamiliar, aqui se estabeleceu a Escola Industrial e Comercial de Abrantes, em 1953, conforme atesta a lápide da fachada. Actualmente, encontra-se instalada neste imóvel a sede da PSP.
Esta Casa integra-se no surto construtivo que Abrantes conheceu entre o século XVIII e XIX, e cuja compreensão deverá radicar no pleno desenvolvimento das diferentes indústrias que, então, aqui estavam estabelecidas, e entre as quais se destacava a das sedas, implantada pelo Marquês de Pombal. Nesta medida, a actual sede da PSP insere-se num modelo arquitectónico não erudito, mas de concepção superior relativamente aos exemplares de arquitectura corrente, existentes na cidade no mesmo período, que testemunham a evolução e renovação urbana de Abrantes.
(RC)

Imagens

Bibliografia

Título

Toponimia Abrantina.

Local

-

Data

-

Autor(es)

CAMPOS, Eduardo