Saltar para o conteúdo principal da página

Antiga Igreja dos Terceiros de São Francisco - detalhe

Designação

Designação

Antiga Igreja dos Terceiros de São Francisco

Outras Designações / Pesquisas

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Chamusca / Chamusca e Pinheiro Grande

Endereço / Local

Rua de São Francisco
Chamusca

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978 (ver Decreto)
Novo edital de 18-03-1976 da CM da Chamusca
Edital de 8-11-1975 da CM da Chamusca
Despacho de homologação de 1-10-1975
Parecer de 19-09-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação como VC
Proposta de classificação de 17-07-1975 da DGAC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Muito alterada, em 1912, pela adaptação a asilo, função que ainda hoje conserva, a antiga igreja dos Terceiros de São Francisco da Penitência começou a ser edificada em 1741, ou seja, oito anos depois da instituição da Ordem na vila da Chamusca. Os trabalhos arrastaram-se por longos anos e, em 1790, a obra foi embargada. Sabe-se, no entanto, que a cruz da fachada ostentava a data de 1763 e que o sino apresentava a seguinte inscrição "SOV DA ORDEM TERCEIRA DA XAMUSCA ANNO DE 1775". Estas informações permitem-nos perceber algumas das fases desta construção que, somente na centúria seguinte, foi alvo de diferentes campanhas decorativas, no interior, e das quais subsiste a abóbada, pintada em 1816 por João da Costa Lemos e José Maria da Costa, e as pinturas das paredes da nave, de 1869. Na sacristia, os trabalhos de douramento de algumas peças foram executados por Valentino Baptista, de Santarém, e as ferragens de algum mobiliário por José Lopes, de Ulme. Já as pinturas da Casa do Despacho são da autoria do pintor João Calado, das Galveias (informações sobre os autores em http://www.ribatejo.com/ecos/chamusca/chpatrimonio.html).
A ordem foi extinta em 1898, e os seus bens foram integrados na Misericórdia local. Em 1912, o espaço acolheu o Asilo Chamusquense, para o qual foi necessário proceder a profundas alterações, de forma a adaptar o espaço às suas novas funcionalidades.
Assim, da primitiva igreja resta, para além dos elementos já referidos, a galilé da fachada principal. Esta, é formada por três arcos de volta perfeita, sendo mais largo o central. Correspondem-lhe três janelas de verga recta. O alçado termina num frontão de aletas contracurvado, com vasos sobre acrotérios, a rematar as pilastras dos cunhais.
(Rosário Carvalho)

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - Aveiro, Beja, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos