Saltar para o conteúdo principal da página

Quiosque no Largo da Ramadinha (primitivamente na Praça dos Poveiros) - detalhe

Designação

Designação

Quiosque no Largo da Ramadinha (primitivamente na Praça dos Poveiros)

Outras Designações / Pesquisas

Quiosque no Largo da Ramadinha (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Quiosque

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

Largo da Ramadinha (atualmentena Praça Carlos Alberto em frente ao Edifício dos SMGE)
Porto

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 2/96, DR, I Série-B, n.º 56, de 6-03-1996 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
O chamado Quiosque da Ramadinha está atualmente implantado na Praça Carlos Alberto, frente ao Palácio Balsemão, no Porto.
O quiosque é uma construção em madeira, de planta hexagonal e cobertura recortada com remate em forma piramidal, que acentua a sua forte verticalidade. Em três dos seus lados rasgam-se janelas de guilhotina envidraçadas, com portadas também de madeira que se elevam, permitindo a abertura em balcão. É pintado numa distinta cor vermelha.
História
O Quiosque da Ramadinha foi originalmente edificado não no largo que lhe deu nome, mas sim no antigo Largo de Santo André, hoje conhecido como Praça dos Poveiros. Não se sabe a data exata da sua construção, registando-se que em 1930 estava já em funcionamento, pertencendo a Manuel António Valdrez.
No ano de 1948, a Câmara do Porto ordenou a sua deslocação para o Largo da Ramadinha, alguns metros a este da sua localização original, e cerca de quarenta anos depois, em 1992, a edilidade mandou substituir o original por uma réplica, que é a que subsiste até hoje.
Em 1996 esta reprodução era classificada como de interesse municipal, em 2005, durante as obras de requalificação da cidade, o quiosque foi novamente deslocado, desta vez para a Praça Carlos Alberto, onde se localiza atualmente.
Catarina Oliveira
DGPC, 2018

Imagens

Bibliografia

Título

Quiosques resistem à extinção

Local

-

Data

1998

Autor(es)

LUZ, Carla Sofia

Título

Uma história de quiosques

Local

Lisboa

Data

2004

Autor(es)

BONY, Claudie