Saltar para o conteúdo principal da página

Quiosque do Serviço de Transportes Colectivos do Porto - detalhe

Designação

Designação

Quiosque do Serviço de Transportes Colectivos do Porto

Outras Designações / Pesquisas

Quiosque do Serviço de Transportes Colectivos do Porto (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Quiosque

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

Praça da Liberdade
Porto

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Implantado na lateral oeste da Praça da Liberdade, frente ao edifício do Banco de Portugal, no Porto, o Quiosque do Serviço de Transportes Coletivos do Porto é um pequeno edificado de planta retangular com os cantos chanfrados, dando às fachadas a ilusão de comporem um octógono.
Os vários panos são divididos por pilastras fingidas, salientes e intercaladas por janelas retangulares, compostas por estrutura em ferro forjado, com desenhos geométricos, que serve de encaixe a blocos de vidro martelado, com alguns fragmentos pintados, imitando vitrais. As pilastras são unidas a toda a volta por friso de almofadas retangulares. Sobre este destaca-se um grande friso octogonal.
O remate da estrutura é feito por um coroamento octogonal composto por molduras preenchidas por almofadas retangulares, alternadas por blocos salientes, uns retangulares com borlas, outros em forma de diamante.
História
O Quiosque do Serviço de Transportes Coletivos do Porto integra o conjunto de quiosques do Porto que subsistiram às mudanças urbanísticas e arquitetónicas da cidade na segunda metade do século XX.
Entre as últimas décadas de Oitocentos e as primeiras de Novecentos, a Invicta recebeu um grande número desta tipologia de estruturas de lazer, em ferro ou, os mais tardios, em betão, com modelos cujo gosto evoluiu com a arte do seu tempo. Estas micro-arquiteturas, edificadas em diferentes formas e destacando-se pelas suas cores, marcavam a paisagem urbana vendendo livros, revistas, bebidas, frutas, flores, tabaco, e servindo como local de tertúlias intelectuais ou de convívio da sociedade portuense.
Este quiosque da Praça da Liberdade, o segundo a ser edificado nesta que é a principal praça do Porto, é uma estrutura de betão de gosto vincadamente art deco. Desconhece-se a data da edificação, mas atendendo ao seu desenho geométrico modernista, pode situar-se a construção deste quiosque entre as décadas de 20 e de 30 do século XX.
Atualmente, o quiosque serve de ponto de venda de títulos de transporte. Foi classificado como de interesse municipal em 1997.
Catarina Oliveira
DGPC, 2018.

Imagens

Bibliografia

Título

Quiosques resistem à extinção

Local

-

Data

1998

Autor(es)

LUZ, Carla Sofia

Título

Uma história de quiosques

Local

Lisboa

Data

2004

Autor(es)

BONY, Claudie