Saltar para o conteúdo principal da página

Edifício situado na Rua Pereira Reis, incluindo o seu logradouro e a mata anexa - detalhe

Designação

Designação

Edifício situado na Rua Pereira Reis, incluindo o seu logradouro e a mata anexa

Outras Designações / Pesquisas

Edifício na Rua Pereira Reis, 278
Directoria do Porto da Polícia Judiciária / Casa na Rua de Pereira Reis(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Edifício

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Paranhos

Endereço / Local

Rua Pereira Reis
Porto

Número de Polícia: 278

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 8/83, DR, I Série, n.º 19, de 24-01-1983 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Localizado na zona de Paranhos, na cidade do Porto, o edifício número 278 da Rua Pereira Reis é uma habitação unifamiliar edificada na primeira metade do século XX. Atualmente, o imóvel pertence à Diretoria do Norte da Polícia Judiciária.
A casa desenvolve-se em planta retangular formada por vários corpos justapostos com alturas diferenciadas, sendo originalmente rodeado por um extenso jardim. A fachada principal, dividida em três pisos, apresenta uma composição de grande impacto e monumentalidade, incorporando diferentes aberturas e vãos que impõem alguma assimetria ao alçado. Sobre a entrada ergue-se um terraço avançado, apoiado em quatro colunas lisas.
Quando o edifício foi adaptado aos serviços policiais, a alteração de funcionalidade determinou a destruição de grande parte das características originais do conjunto. No interior, algumas divisões foram aumentadas, enquanto outras simplesmente desapareceram. Nos alçados, novos vãos e passagens foram rasgados e, no antigo jardim que envolve a vivenda, algumas das espécies de flora foram abatidas para dar lugar a novos edifícios de carácter utilitário.
História
O edifício da Rua Pereira Reis foi mandado construir na década de quarenta do século XX por Francisco Borges, um dos principais banqueiros portuenses da época.
Em 1979 a moradia foi adquirida pelo Ministério da Justiça para aqui instalar a Diretoria do Porto da Polícia Judiciária, e depois de algumas obras de adaptação no interior do edifício, foram para aí transferidos os primeiros serviços em 1983, ano em que o imóvel foi classificado.
A classificação da propriedade integrava um pequeno parque, com carvalhos, sobreiros e castanheiros, que foi posteriormente adulterado pela edificação de uma série de anexos, e finalmente destruído em 1994, quando uma grande área do parque foi terraplanada e se iniciou a construção de um novo edifício para a Diretoria da Polícia Judiciária. Este edifício foi inaugurado em Outubro de 2000, e tem entrada pela Rua Assis Vaz, que constituía acesso secundário para o logradouro da moradia original.
Apesar das profundas transformações do edifício, a moradia da Rua Pereira Reis é ainda um importante modelo da arquitetura habitacional novecentista do Porto, refletindo o alcance que os modelos unifamiliares isolados tiveram na vivência da burguesia endinheirada da cidade durante a primeira metade do século XX.
Catarina Oliveira
DGPC, 2017

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal: Cidade do Porto

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

QUARESMA, Maria Clementina de Carvalho

Título

Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, IPPAR, vol. II

Local

-

Data

-

Autor(es)

-