Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de Santo Antão - detalhe

Designação

Designação

Capela de Santo Antão

Outras Designações / Pesquisas

Capela de Santo Antão (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Batalha / Batalha

Endereço / Local

-- junto à E.N. 1, km 114, sentido Batalha-Leiria
Lugar da Faniqueira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
A Capela de Santo Antão localiza-se no Lugar da Faniqueira, num largo empedrado sobranceiro à Estrada de Santo Antão (N1) que confina com o IC2, uma via que atravessa o concelho da Batalha de Norte a Sul e que corresponde ao principal acesso à cidade de Leiria.
Trata-se de uma capela paroquial com características rurais de planta longitudinal retangular de dois volumes justapostos que correspondem aos espaços da nave e da capela-mor, sendo este mais pequeno e ao qual está adossada a sacristia. A fachada principal possui cunhais rematados superiormente por pináculos piramidais colocados sobre base quadrangular. Ao centro abra-se um portal de vão retangular, encimado por friso e cornija, ladeado por duas janelas de moldura idêntica. Ainda sobre este portal abre-se um janelão igualmente retangular coroado por frontão triangular com a seguinte inscrição: "EM /1894/ FOI RECTIFICADA / ESTA IGREJA". No remate da empena triangular da fachada surge uma cruz e, do lado Sul, sobre plinto elevado, ergue-se uma pequena sineira. A fachada Sul ostenta uma porta de moldura igual ao portal principal e duas pequenas frestas com vidros.
Interiormente a nave é coberta por teto de madeira de três panos, abrindo para a capela-mor através de arco pleno, espaço que surge igualmente coberto por teto de madeira. Na nave destaca-se o coro alto de madeira ao qual se acede por lanço de escadas igualmente em madeira. O coro assenta sobre duas colunas de perfil quadrangular e duas pias de água benta integradas. Do lado da Epístola surge um púlpito com guarda poligonal em madeira pintada de beije, sendo o acesso feito através da sacristia. No presbitério, ao qual se acede por dois degraus, erguem-se dois altares colaterais colocados em ângulo onde se observam retábulos em talha pintados de beije e castanho, guardando o do Evangelho a imagem de Santo Antão e, o da Epístola, a representação da Virgem.
Ao centro destaca-se, pela sua qualidade artística, um retábulo de madeira dourada e policromada apresentando seis cenas da Paixão de Cristo. Refira-se que esta notável peça do período gótico possui proteção legal desde 1974. As cenas representadas, numa descrição da esquerda para a direita, correspondem à Prisão, Flagelação, Caminho do Calvário, Descida da Cruz, Deposição no Túmulo e Ressurreição.
Sendo provável que se trate, na sua origem de um retábulo portátil da Escola Flamenga de Antuérpia, poderá ter integrado, numa primeira fase, o património artístico do Mosteiro da Batalha (P. DIAS, 1997, p. 165,166) .

História
Desconhecendo-se a data exata da edificação da Capela de Santo Antão considera-se, pela tipologia que apresenta, que a sua fase mais antiga deverá corresponder aos finais do século XVI. Segundo a obra " O Couseiro ou Memórias do Distrito de Leiria", o templo surge já referido na 1ª metade do século XVII como tendo um retábulo muito antigo.
Em 1894 o edifício recebeu uma intervenção de restauro, tal como surge referido na inscrição colocada na fachada. Na década de 90 do século XX, o retábulo gótico foi roubado, tendo posteriormente sido localizado e recuperado em Itália. A obra foi então entregue à Paróquia da Batalha tendo ficado provisoriamente depositado no Mosteiro da Batalha até integrar novamente o património da capela de Santo Antão.
Anualmente a aldeia da Faniqueira celebra, em torno da capela de Santo Antão, a Festa em Honra de Nossa Senhora dos Remédios, festa esta que decorre em Agosto, durante quatro dias. As festividades incluem rituais religiosos como a celebração de missas e procissão de velas.

Maria Ramalho/DGPC/2016. Colaboração de Rui Cunha/C.M.Batalha.

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal: distrito de Coimbra

Local

Lisboa

Data

1952

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira, CORREIA, Vergílio

Título

Corografia Portuguesa e descripçam topographica do famoso Reyno de Portugal

Local

Lisboa

Data

1712

Autor(es)

COSTA, Pe. António Carvalho da

Título

O concelho da Batalha

Local

Batalha

Data

1987

Autor(es)

ESPÍRITO SANTO, Moisés

Título

O Brilho do Norte. Escultura e escultores do Norte da Europa em Portugal na época Manuelina

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

AA. VV.

Título

O Couseiro - Memórias do Bispado de Leiria

Local

Braga

Data

1868

Autor(es)

-