Saltar para o conteúdo principal da página

Quiosque no Largo de Mompilher (antigo Largo da Picaria) - detalhe

Designação

Designação

Quiosque no Largo de Mompilher (antigo Largo da Picaria)

Outras Designações / Pesquisas

Quiosque no Largo Mompilher (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Quiosque

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

Largo Mompilher
Porto

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 2/96, DR, I Série-B, n.º 56, de 6-03-1996 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Localizado numa das extremidades do Largo de Mompilher, no centro da cidade do Porto, este quiosque de madeira foi erigido na primeira metade do século XX.
A estrutura distingue-se pela sua cor vermelha com elementos decorativos destacados, pintados a branco, desenvolvendo-se em planta hexagonal. Das seis faces, apenas três possuem abertura, que correspondem a uma porta com portada de madeira e duas janelas com grades. O interior é revestido com prateleiras de madeira. O conjunto é rematado por chapa metálica, apresentando um modelo de inspiração oriental desenhado à semelhança dos pagodes chineses.
História
O primeiro quiosque do Largo de Mompilher, então conhecido como Largo da Picaria, foi edificado nos primeiros anos do século XX, ostentando uma estrutura de ferro.
Em 1930 Alberto Teixeira Brandão fez um pedido à Câmara do Porto para construir um novo quiosque no local, apresentando o projeto de uma estrutura de madeira, de maiores dimensões do que a que existia. A edificação terá decorrido entre esse ano e o seguinte.
Este pequeno quiosque vermelho integra-se no característico conjunto de quiosques da cidade do Porto, erigidos entre as últimas décadas do século XIX e as primeiras do século seguinte como ponto de encontro preferencial para escritores, poetas, intelectuais ou aristocratas.
Este imóvel foi classificado como de interesse municipal em 1996.
Catarina Oliveira
DGPC, 2017

Imagens

Bibliografia

Título

Quiosques resistem à extinção

Local

-

Data

1998

Autor(es)

LUZ, Carla Sofia

Título

Uma história de quiosques

Local

Lisboa

Data

2004

Autor(es)

BONY, Claudie