Saltar para o conteúdo principal da página

Casa das Quatro Cabeças - detalhe

Designação

Designação

Casa das Quatro Cabeças

Outras Designações / Pesquisas

Edifício das Quatro Cabeças do Troino / Casa das Quatro Cabeças(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Edifício

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Setúbal / Setúbal / Setúbal (São Julião, Nossa Senhora da Anunciada e Santa Maria da Graça)

Endereço / Local

Rua de Fran Pacheco (antiga Rua Direita)
Setúbal

Número de Polícia: 44

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)
Edital N.º 13/75 de 25-03-1975 da CM de Setúbal
Despacho de homologação de 17-01-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer de 17-01-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação como VC
Proposta de classificação de 5-12-1974 da CM de Setúbal

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Integrado na malha urbana do Bairro do Troino, em pleno coração piscatório da antiga vila, este edifício de três pisos, de planta quadrangular e com cunhais bem marcados em cantaria, é um exemplo da construção urbana citadina de Setúbal durante a Idade Moderna. Muito modificado ao longo dos séculos, mantém as características essenciais das diferentes épocas de construção, com os testemunhos manuelinos ao nível do piso térreo e a feição geral dos séculos XVII-XVIII ( altura em que foi reconstruindo aproveitando materiais anteriores), sobressaindo os vãos harmonicamente abertos nos alçados.
A particularidade deste imóvel reside precisamente nos elementos ditos manuelinos, integrados no cunhal e no lintel da porta da fachada Sul. Compõem-se de quatro bustos esculpidos em baixo-relevo, um deles representando um monarca, associados a uma inscrição latina:Si Deus pro nobis quis contra nos; no diadema: Esper athe Deo.
A tradição popular relaciona este edifício ao atentado contra D. João II, ocorrida durante a Procissão de Corpo de Deus nesta cidade do Sado, mas o mais provável é estarmos perante reaproveitamentos de materiais de uma construção setubalense de finais do século XV. De resto, existe nestes bustos um claro predomínio de fórmulas artísticas arcaizantes, que dificilmente se compreendem associadas a uma construção de patrocínio real.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Sobre o Manuelino de Setúbal, separata da revista Setúbal na História

Local

-

Data

1990

Autor(es)

PEREIRA, Fernando António Baptista