Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Nossa Senhora da Assunção, matriz de Grândola - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Nossa Senhora da Assunção, matriz de Grândola

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Matriz de Grândola / Igreja Paroquial de Grândola / Igreja de Nossa Senhora da Assunção(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Setúbal / Grândola / Grândola e Santa Margarida da Serra

Endereço / Local

Praça Marquês de Pombal
Grândola

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 192/2013, DR, 2.ª série, n.º 69, de 9-04-2013 (ver Portaria)
Procedimento prorrogado até 30-06-2013 pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Anúncio n.º 16470/2011, DR, 2.ª série, n.º 216, de 10-10-2011 (ver Anúncio)
Parecer de 10-10-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a propor a classificação como MIP
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Edital n.º 110 de 9-05-2007 da CM de Grândola
Despacho de concordância de 1-03-2007 do presidente do IPPAR
Parecer de 12-02-2007 do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 26-01-2007 da DR de Évora
Despacho de abertura de 14-02-1994 do presidente do IPPAR
Proposta de 9-02-1994 da DR de Évora para a abertura do processo de classificação
Proposta de classificação de 26-01-1993 da CM de Grândola, no seguimento de deliberação camarária de 22-01-1993

ZEP

Portaria n.º 192/2013, DR, 2.ª série, n.º 69, de 9-04-2013 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 16470/2011, DR, 2.ª série, n.º 216, de 10-10-2011 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 10-10-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Informação favorável de 25-06-2008 da DRC do Alentejo
Nova poposta de 10-10-2007 da CM de Grândola
Proposta de alteração de 6-06-2007 da CM de Grândola
Edital n.º 110 de 9-05-2007 da CM de Grândola
Despacho de concordância de 1-03-2007 do presidente do IPPAR
Parecer favorável de 12-02-2007 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 26-01-2007 da DR de Évora

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A construção da igreja matriz de Grândola é anterior ao século XVI, encontrando-se em ruínas no início desta centúria. A uma campanha de obras patrocinada ou imposta pela Ordem de Santiago nas primeiras décadas de Quinhentos, sucedeu uma outra, em meados do mesmo século, directamente impulsionada por D. Jorge de Lencastre, mestre da referida Ordem. Nesta época, o templo foi ampliado e a sua invocação deixou de ser Nossa Senhora da Abendada passando a Nossa Senhora da Assunção. As campanhas posteriores foram eminentemente decorativas, com a renovação da talha ao longo da segunda metade do século XVII e múltiplas intervenções ao nível do retábulo-mor já na centúria de Setecentos.
De planta longitudinal, a igreja apresenta capela-mor profunda que se articula com nave única, marcada pela abertura de quatro capelas laterais, em arco de volta perfeita de cantaria. Encontram-se adossados os volumes correspondentes à sacristia e a outras dependências. A fachada principal é seccionada por pilastras, que definem três panos correspondentes ao corpo do templo, aos anexos e à torre sineira, esta última no mesmo plano do alçado e também rematada por pináculos. O pano central, onde apenas se rasga o portal e o janelão do coro, é encimado por frontão triangular flanqueado por pináculos.
No interior, a cobertura exibe uma pintura relativamente recente, e o espaço da nave é percorrido por um silhar de azulejo de padrão, certamente seiscentista. As capelas laterais apresentam revestimento cerâmico e retábulos de talha dourada de estilo nacional, tal como os retábulos colaterais. A capela-mor, com tecto de motivos geométricos executados já no século XIX, exibe retábulo de características neoclássicas. Uma referência ainda para a representação do Pentecostes, da autoria do pintor maneirista Fernão Gomes, em final do século XVI, que se encontra na capela-mor.
(RC)

Imagens

Bibliografia

Título

O mestre de Sant'Iago D. Jorge e as visitações ao lugar de Grandolla

Local

Lisboa

Data

1991

Autor(es)

SILVA, Germesindo

Título

Roteiro setecentista da Vila de Grândola: subsídios para uma monografia III

Local

Grândola

Data

1998

Autor(es)

ALMEIDA, Manuel Costa Gaio Tavares de