Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo de Cabeço de Vide - detalhe

Designação

Designação

Castelo de Cabeço de Vide

Outras Designações / Pesquisas

Castelo de Cabeço de Vide(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Fronteira / Cabeço de Vide

Endereço / Local

- -
Cabeço de Vide

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma)
Em 4-04-1975 a DGAC comunicou à CM de Fronteira que o imóvel estava em vias de classificação
Parecer de 17-01-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a solicitar uma melhor instrução do processo
Proposta de classificação de 6-01-1975 da DG dos Assuntos Culturais

ZEP

Sem efeito, por o procedimento de classificação ter caducado
Parecer de 23-04-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P. a propor em alternativa a classificação do conjunto urbano
Proposta de 10-01-2008 da DRC do Alentejo para a definição de uma ZEP conjunta dos Imóveis Classificados e em Vias de Classificação de Cabeço de Vide

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Estão mal esclarecidas as fases de ocupação do ponto dominante onde se ergueu, no período medieval, o castelo de Cabeço de Vide. A tradição local aponta para o aparecimento de elementos romanos, situação sucessivamente não confirmada por prospecções no local. As duas escavações efectuadas no interior do recinto (1999, por La Salete da Ponte e 2005, a cargo de André Carneiro) lograram identificar elementos de épocas bem mais tardias, da viragem para a Época Moderna ou já do século XIX, se bem que a área investigada é ainda bastante reduzida para negar, à partida, qualquer evidência de romanização.
Também não são conhecidas as circunstâncias que levaram à edificação do castelo medieval, construído presumivelmente no século XIV. O portal de entrada, voltado a Sul, ostenta a Ordem de Avis, o que sugere a existência de uma determinação desta instituição para que se edificasse o conjunto. Dele, infelizmente, pouco resta, confundindo-se normalmente os vestígios de origem proto-histórica com as ruínas do que terá sido a fortaleza gótica. No interior, identificam-se estruturas habitacionais, uma cisterna, um poço e alguns silos, que parecem apontar para ocupações baixo-medievais, a rondar os séculos XV e XVI. Também a barbacã que envolve o castelo deve corresponder a este período.
A guerra que Portugal custeou contra Espanha, nos meados do século XVII, pode ter favorecido uma reocupação pontual do castelo, eventual fase de ocupação que carece, igualmente, de um estudo mais aprofundado. O efectivo conhecimento do castelo de Cabeço de Vide passa por um projecto arqueológico de maior fôlego, que possa trazer informações sobre as múltiplas dúvidas que actualmente se enfrentam sempre que se pretende caracterizar o monumento.
PAF

Imagens