Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de São Brás - detalhe

Designação

Designação

Capela de São Brás

Outras Designações / Pesquisas

Ermida de São Brás / Ermida de São Brás(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Setúbal / Santiago do Cacém / Santiago do Cacém, Santa Cruz e São Bartolomeu da Serra

Endereço / Local

Herdade dos Chãos Salgados (Estação Arquelógica de Miróbriga)
Santiago do Cacém

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Despacho de encerramento de 8-03-2007 da Directora Regional de Évora do IPPAR (???)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada no perímetro da Estação Arqueológica de Miróbriga, a Ermida de São Brás foi referida por André de Resende na sua obra As Antiguidades da Lusitânia , publicada em 1593, cerca de vinte anos depois da sua morte. Sabe-se assim, pelo relato do humanista, que a ermida dedicada ao santo mártir estava já edificada nos últimos anos do terceiro quartel do século XVI.
Criando um local de implementação cristã numa área historicamente ligada aos cultos pagãos romanos, esta igreja era possivelmente um centro de peregrinações e romarias locais.
Apresenta uma tipologia muito explorada nas zonas rurais alentejanas na centúria de Quinhentos, com uma estrutura robusta de pequenas dimensões, uma única nave, capela-mor coberta por cúpula, e o tratamento dos panos murários exteriores inspirado na arquitectura popular regional.
Actualmente a Ermida de São Brás não se encontra afecta ao culto, sendo utilizada pelo Centro Interpretativo da Estação Arqueológica de Miróbriga. A estrutura foi recuperada na década de 80 do século XX, sendo reconstruídas as coberturas, e nos anos de 1996 e 1997 o IPPAR procedeu a novas obras de conservação e restauro do templo.
Do programa decorativo original destaca-se o retábulo de estuque, ainda colocado na capela-mor, emoldurado por arco de volta perfeita assente sobre pilastras, decorados por relevos de florões e encimado por um medalhão circular. A imagem do orago encontra-se actualmente depositada no Museu Municipal de Santiago do Cacém.
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/ 23 de Junho de 2006