Saltar para o conteúdo principal da página

Villa romana de Outeiro de Polima - detalhe

Designação

Designação

Villa romana de Outeiro de Polima

Outras Designações / Pesquisas

Villa Romana de Outeiro de Polima(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Villa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Cascais / São Domingos de Rana

Endereço / Local

-- -
Outeiro de Polima

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42, de 19-02-2002 (ver Decreto)
Edital de 5-12-1997 da CM de Cascais
Despacho de homologação de 13-02-1989 da Secretária de Estado da Cultura
Parecer favorável de 30-01-1989 da 1.ª Secção do Conselho Consultivo do IPPC
Proposta de 16-06-1988 da CM de Cascais para a classificação como IIP

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Sítio
Situado no topo de uma pequena elevação, junto à povoação de Outeiro de Polima, o sítio arqueológico que adotou o mesmo nome estende-se até à zona do Cabeço do Mouro, encontrando-se parcialmente coberto por um prédio rustico. Este arqueossítio poderá corresponder à continuação da conhecida Villa Romana da Freiria, que se encontra nas proximidades. No entanto, os vestígios de Outeiro de Polima poderão também ser identificados com uma outra villa pois, apesar das escavações aí realizadas não terem identificado nenhuma estrutura significativa, à exceção de um pavimento revestido a opus signinum e uma sepultura, o tipo de espólio recolhido, com elevada quantidade de material de construção tais como imbrices, tegulae, fragmentos de estuque e tijolos de quadrante usados para erguer colunas, parecem confirmar a existência de uma zona de habitat.
No local foram ainda identificados outros materiais do mesmo período cronológico, como fragmentos de ânforas, cerâmica comum e sigillatas.
Refira-se que o material proveniente deste local encontra-se atualmente à guarda da Câmara Municipal de Cascais.
Para além destes vestígios, foram também exumados outro tipo de materiais arqueológicos como instrumentos em sílex, pesos de tear e cerâmicas carenadas, indiciando a ocupação do local pelo menos desde o Paleolítico, estendendo-se depois até à Idade Média, existindo, no entanto, a hipótese desta acumulação de materiais se relacionar com escorrimentos de terras ocasionados pelos múltiplos trabalhos agrícolas efetuados na zona.

História
Este sítio arqueológico foi mencionado pela primeira vez em 1913 por Virgílio Correia, tendo sido identificada no local uma sepultura de época romana, bem como alguns materiais do mesmo período histórico.
Em 1973 o arqueólogo Guilherme Cardoso realiza uma prospeção no terreno numa tentativa de identificar mais algumas sepulturas, tendo recolhido uma elevada quantidade de material romano. Em 1999 o mesmo investigador efetua, juntamente com José d'Encarnação, uma escavação arqueológica no local, não tendo no entanto sido identificadas quaisquer estruturas ou sepulturas, à exceção de um pavimento associado a espólio de época romana.
Entre 2003 e 2005 são realizadas ações de acompanhamento arqueológico no âmbito da colocação de uma proteção do sítio. Apesar de não ter sido identificada qualquer estrutura arqueológica, foi possível delimitar, com base nas sondagens abertas, uma importante área de dispersão de materiais.

Ana Teresa Henriques e Maria Ramalho/DGPC/2018

Imagens

Bibliografia

Título

Cascais no tempo dos Romanos

Local

Cascais

Data

1986

Autor(es)

CARDOSO, Guilherme, ENCARNAÇÃO, José d'

Título

Cascais no tempo dos romanos, Revista de Arqueologia

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

CARDOSO, Guilherme, ENCARNAÇÃO, José d'

Título

Subsídios para a carta arqueológica do concelho de Cascais, Arquivo de Cascais

Local

Cascais

Data

1984

Autor(es)

CARDOSO, Guilherme, ENCARNAÇÃO, José d'

Título

Esboço arqueológico do concelho de Cascais, Boletim do Museu Biblioteca dos Condes de Castro Guimarães

Local

Cascais

Data

1943

Autor(es)

FIGUEIREDO, Fausto J. A. de, PAÇO, Manuel Afonso do

Título

Sepultura romana nos arredores de Oeiras, O Arqueólogo Português

Local

Lisboa

Data

1913

Autor(es)

CORREIA, Vergílio

Título

Páleo e mesolítico português, Anais da Academia Portuguesa da História

Local

Lisboa

Data

1941

Autor(es)

PAÇO, Manuel Afonso do, JALHAY, Eugene

Título

Revisão dos problemas do Paleolítico, Mesolítico e Asturiense, Congresso do Mundo Português, Lisboa, 1940 - Memórias e Comunicações apresentadas ao Congresso da Pré e Proto-História de Portugal (I Congresso)

Local

Lisboa

Data

1940

Autor(es)

PAÇO, Manuel Afonso do