Saltar para o conteúdo principal da página

Quinta do Campo (conjunto edificado), incluindo a casa de habitação, capela, "tentadero" e outras instalações e pertences - detalhe

Designação

Designação

Quinta do Campo (conjunto edificado), incluindo a casa de habitação, capela, "tentadero" e outras instalações e pertences

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Quinta

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Alenquer / Carregado e Cadafais

Endereço / Local

Quinta do Campo (EN 3)
Carregado

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42, de 19-02-2002 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Quinta do Campo, no Carregado, constitui ainda um exemplar típico das quintas oitocentistas de Alenquer, tendo sido provavelmente a maior do concelho, quando tinha anexados terrenos do Paul da Ota. Fazia parte de vínculo instituído pelo Marquês de Castelo Melhor, por via do qual veio a pertencer também aos Viscondes da Várzea. O conjunto, conforme a designação constante da classificação, inclui casa de habitação, capela e tentadero.
A quinta estava vocacionada para a cultura de cereais e para a criação de gado, de acordo com as tradições da região, e aproveitando os recursos naturais proporcionados pela situação ribeirinha, onde se desenvolvem as férteis lezírias do Tejo. Como em muitas outras grandes casas agrícolas vizinhas, aqui existia uma ganadaria com algum prestígio, denunciada pela presença do referido tentadero, um cercado destinado à tenta dos bezerros, de forma a confirmar a sua bravura.
A casa de habitação e os restantes edifícios, incluindo anexos agrícolas e uma estufa, distribuem-se em torno de um grande pátio, ficando o tentadero num dos topos. No centro do pátio ergue-se um grande chafariz de planta redonda, com coluna central levantada ao centro do tanque inferior, e duas taças circulares dispostas em altura. O edifício principal, de finais do século XIX, não possui características arquitectónicas particularmente marcantes, mas impõe-se pela escala. Confina com o largo portão de acesso, junto do qual se encontra um antigo marco de propriedade com o escudo real. SML