Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte sobre o Lima - detalhe

Designação

Designação

Ponte sobre o Lima

Outras Designações / Pesquisas

Ponte sobre o Lima (Ponte de Lima) / Ponte de Ponte de Lima (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Ponte de Lima / Arca e Ponte de Lima

Endereço / Local

-- -
Ponte de Lima

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

Portaria n.º 721/77, DR, I Série, n.º 269, de 21-11-1977 (com ZNA) (ver Portaria)

Zona "non aedificandi"

Portaria n.º 721/77, DR, I Série, n.º 269, de 21-11-1977

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A ponte sobre o rio Lima é o elemento estruturante da vila, e o que lhe conferiu a sua própria denominação. "Espinha dorsal da rede viária do Entre-Douro-e-Minho" (ANDRADE, 1990, p.14), durante largos séculos foi a única passagem pedestre sobre o Lima, fazendo com que, inevitavelmente, os homens e os caminhos aqui confluíssem.
A sua origem é romana, embora desse período pouco mais reste que dois arcos, muito transfigurados, junto à margem direita. Nessa altura, instituiu-se como ponto fundamental numa ampla rede viária que se alargava a todo o Noroeste peninsular, cuja importância, na Idade Média, foi decisiva, ligando Braga a Compostela, passando por Tui e prolongando-se, no sentido oposto, até ao Porto. O que se conserva da obra romana revela uma estrutura de grande qualidade, assente sobre arcos de volta perfeita compostos por silhares de talhe regular (alguns almofadados), e pavimento horizontal de seis metros de largura protegido por guardas. Uma parte significativa desta parcela encontra-se soterrada na margem direita, sendo esta uma zona onde melhor se podem compreender as sucessivas reconstruções realizadas ao longo dos séculos, que lhe conferem uma feição muito pouco homogénea.
Diferente é a parcela actualmente sobre o leito do Lima, caracterizada por uma racional homogeneidade e uma sucessão sistemática de elementos construtivos. Na segunda metade do século XIV, realizou-se uma obra praticamente de raiz. A causa imediata desta opção parece estar nas transformações ocorridas no leito do Lima, em consequência dos arroteamentos: "frente a Ponte de Lima, o rio desviara-se um pouco para sul e a velha ponte romana, certamente destruída em grande parte, deixara de transpor o rio" (ALMEIDA, 1987, p.100).
Não se sabe ainda, ao certo, qual a cronologia exacta da obra. Vários autores relacionaram-na com a inscrição de 1359, que alude ao início da construção da cerca, patrocinada por D. Pedro. No entanto, não está provado que a ponte fizesse parte dessa empreitada (BARROCA, 2000, p.1731) e o facto de a inscrição ter sido colocada na Torre Velha (a torre que defendia a ponte) faz crer que, quer esta estrutura militar, quer a própria ponte, sejam anteriores.
A nova estrutura representou um salto qualitativo na actividade pontística do país e a sua monumentalidade não tem paralelo no Portugal medieval até então. Compõe-se de dezoito arcos apontados - os três primeiros do lado Sul estão soterrados sob a actual Praça Camões, recentemente intervencionada arqueologicamente (ALMEIDA, 2000) -, e possui pegões reforçados por talhamares, sobre os quais se abrem olhais de perfil quebrado, fundamentais para conferir menor peso à estrutura e permitir um melhor escoamento em altura de cheias. Superiormente, o tabuleiro manteve a horizontalidade inicial, aqui com uma ligeira zona rampante a Norte.
Os estudos mais recentes têm sido unânimes em considerar este um modelo de importação, já ensaiado em outras zonas da Península Ibérica e, muito particularmente, ao longo do Caminho de Santiago. Com efeito, são notórias semelhanças com as pontes de Puente la Reina e de Zamora (ALMEIDA, 1987, p.101), significando a adopção de um modelo de sucesso que viria a triunfar, também, no nosso país, a ponto de ser posteriormente aplicado às pontes de Ponte da Barca e de Vilar de Mouros.
A edificação da ponte aconteceu num momento em que Ponte de Lima se cercava de muralhas. Elas foram levantadas a partir de 1359 e estariam concluídas por 1370. Neste contexto, ela foi um elemento mais do sistema defensivo, nela se construindo duas torres, localizadas nos extremos do circuito. No lado Sul, a Torre da Ponte ligava à restante cerca; no lado Norte, existia a Torre Velha, estrutura maciça quadrangular, fotografada ainda em 1858, e de que restam os alicerces. No reinado de D. Manuel, a importância militar da ponte mantinha-se e o monarca ordenou a colocação de ameias ao longo das guardas, facto que reforçou a sua feição fortificada.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Pontes Antigas Classificadas

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

RIBEIRO, Aníbal Soares

Título

O Minho Pittoresco

Local

Lisboa

Data

1887

Autor(es)

VIEIRA, José Augusto

Título

Pontes romanas de Portugal

Local

Lisboa

Data

1999

Autor(es)

PINTO, Paulo Mendes

Título

História da Arte em Portugal - o Gótico

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, BARROCA, Mário Jorge

Título

Roteiro da Ribeira Lima

Local

Porto

Data

1959

Autor(es)

AURORA, Conde de

Título

Alto Minho

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

O património cultural do Alto Minho (civil e eclesiástico). Sua defesa e protecção, Caminiana, ano IX, nº14, pp.9-80

Local

Caminha

Data

1987

Autor(es)

ALVES, Lourenço

Título

Itinerários de Ponte de Lima

Local

Ponte de Lima

Data

1973

Autor(es)

REIS, António Matos

Título

Ponte de Lima na Alta Idade Média, Arquivo do Alto Minho, vol. 9

Local

Viana do Castelo

Data

1960

Autor(es)

FERNANDES, A. de Almeida

Título

Caminhos velhos e Pontes de Viana e Ponte de Lima

Local

Viana do Castelo

Data

1962

Autor(es)

ARAÚJO, José Rosa de

Título

Um espaço urbano medieval: Ponte de Lima

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

A romanização do concelho de Ponte de Lima

Local

Ponte de Lima

Data

1978

Autor(es)

REIS, António Matos

Título

A ponte romana de Ponte de Lima, Studium Generale, nº9

Local

Porto

Data

1962

Autor(es)

MACHADO, Alberto de Sousa

Título

Monografia do concelho de Ponte de Lima

Local

Porto

Data

1946

Autor(es)

AURORA, Conde de

Título

Arqueologia no Largo Camões, Boletim Municipal de Ponte de Lima, ano IV, nº11

Local

Ponte de Lima

Data

2000

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Brochado de

Título

Inventário Artístico da Região Norte - III (Concelho de Ponte de Lima)

Local

Porto

Data

1974

Autor(es)

-