Saltar para o conteúdo principal da página

Palácio, jardins, horta e mata dos dos marqueses de Fronteira - detalhe

Designação

Designação

Palácio, jardins, horta e mata dos dos marqueses de Fronteira

Outras Designações / Pesquisas

Palácio dos Marqueses de Fronteira e Alorna / Palácio dos Marqueses de Fronteira (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / Jardins da Quinta dos Marqueses de Fronteira (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / São Domingos de Benfica

Endereço / Local

Largo de São Domingos de Benfica
Lisboa

Número de Polícia: 1

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 (ver Decreto)
Edital N.º 147/79 de 28-09-1979 da CM de Lisboa
Despacho de homologação de 15-06-1978 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 15-06-1978 da COISPCN a propor a classificação como MN
Proposta de classificação de 19-05-1978 da DGEMN
Em 15-04-1978 a DGEMN informou estar a preparar uma proposta de classificação e solicitou que se notificasse o proprietário de que o imóvel passaria a estar em vias de classificação

ZEP

Portaria n.º 1094/94, DR, I Série-B, n.º 283, de 9-12-1994 (sem restrições) (ZEP do Palácio dos Marqueses de Fronteira, da Igreja de São Domingos de Benfica, da Capela dos Castros e do Túmulo de João das Regras)(ver Portaria)
Edital N.º 10/93 de 26-01-1993 da CM de Lisboa
Despacho de concordância de 30-05-1983 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 25-03-1983 da Assessoria Técnica do IPPC a propor uma nova delimitação
Proposta de 8-11-1982 da DGEMN para a ZEP do Palácio dos Marqueses de Fronteira, da Igreja de São Domingos de Benfica, da Capela dos Castros e do Túmulo de João das Regras

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Uma inscrição que está patente na capela do Palácio dos Marqueses de Fronteira dá-nos a indicação de uma primeira fase de construção situada no séc. XVI. Sabemos, no entanto, que este palácio sofreu mais duas campanhas de obras significativas, nomeadamente entre os anos de 1670 e 1673 (construção do palácio) e após o terramoto de 1755 (reconstrução e ampliação do mesmo).
A construção por iniciativa de D. João de Mascarenhas, 1º Marquês de Fronteira, é composta por um núcleo central de dois andares onde se encontra localizada uma imponente escadaria de acesso ao piso nobre; e duas alas de forma rectangular e volumetria escalonada.
O alçado principal do palácio é constituído por dois pisos e três corpos, contendo o piso térreo do corpo central um nartex e o andar nobre do mesmo corpo uma Loggia; e nos corpos laterais duas janelas em cada piso.
A decoração de todo o espaço arquitectónico é digna de nota, salientando-se os lambris de azulejos historiados e alegóricos, a ornamentação do estuque em diversas salas, as fontes e produções escultóricas distribuídas pelos jardins, a utilização do mármore e da pintura marmoreada, as escadas e balaustradas.
RFF

Imagens

Bibliografia

Título

Palácios e solares portuguezes (Col. Encyclopedia pela imagem)

Local

Porto

Data

1900

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

Jardins e Palácio dos Marqueses de Fronteira

Local

-

Data

1995

Autor(es)

NEVES, José Cassiano

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

São Domingos de Benfica. Roteiro

Local

Lisboa

Data

1991

Autor(es)

FERREIRA, Jorge Rodrigues

Título

Pelas freguesias de Lisboa. Benfica. Carnide. Ameixoeira. Charneca. Lumiar

Local

Lisboa

Data

1993

Autor(es)

CONSIGLIERI, Carlos; RIBEIRO, Filomena; VARGAS, José Manuel; ABEL, Marília