Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo de Pombal - detalhe

Designação

Designação

Castelo de Pombal

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Pombal / Pombal

Endereço / Local

Rua do Castelo
Pombal

Rua da Encosta do Castelo
Pombal

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

Despacho de homologação de 20-01-2010 da Ministra da Cultura (alteração só em vigor após publicação no DR)
Parecer favorável de 6-02-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de alteração de 13-12-2007 da DR de Coimbra
Portaria de 29-10-1946, publicada no DG, II Série, n.º 12, de 15-01-1947 (com ZNA)

Zona "non aedificandi"

Portaria de 29-10-1946, publicada no DG, II Série, n.º 12, de 15-01-1947

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Em 1128, o Castelo de Pombal foi doado à Ordem do Templo, a quem Afonso Henriques atribuiu a defesa da cidade de Coimbra, então capital do reino. Esta doação prova que a localidade já tinha, por essa altura, um valor militar elevado, provavelmente por ter sido um ponto fortificado nos séculos imediatamente anteriores, em que esta parcela de território havia sido disputada por cristãos e muçulmanos.
A fortaleza românica construída pelos templários iniciou-se na década de 50 e prolongou-se até praticamente final do século. Os trabalhos terão começado pela cerca da fortaleza, só depois se erguendo a torre de menagem, que data de 1171, e que tem a particularidade de dispor de um alambor, dispositivo defensivo introduzido no país pela Ordem do Templo. A conclusão do projecto foi assinalada com uma inscrição sobre a porta da torre, como foi usual nos empreendimentos militares promovidos por D. Gualdim Pais, posteriormente retirada e depositada no Convento de Cristo, em Tomar, onde ainda hoje se encontra.
Durante a Baixa Idade Média, a fortificação românica de Pombal não foi objecto de reformas assinaláveis. Só com D. Manuel, numa altura em que a guerra se havia transformado radicalmente, com inclusão de dispositivos adaptados à pólvora, se verifica uma primeira reformulação da estrutura, ainda mal estudada, mas que poderá ter passado pela definição de barbacãs e pelo reforço das muralhas.
Durante a época moderna o castelo perdeu importância e a população concentrou-se no sopé. Atacado pelas tropas napoleónicas, foi parcialmente restaurado no século XX, nos anos que antecederam a Exposição do Mundo Português de 1940.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Da Reconquista a D. Dinis, Nova História Militar de Portugal, vol. I, pp.21-161

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

Castelos Portugueses

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

MONTEIRO, João Gouveia, PONTES, Maria Leonor