Saltar para o conteúdo principal da página

Casa de António Seabra (antiga), também denominada «Casa da Quinta de São João» ou «Casa da Quinta da Lavoura de São João», incluindo o jardim - detalhe

Designação

Designação

Casa de António Seabra (antiga), também denominada «Casa da Quinta de São João» ou «Casa da Quinta da Lavoura de São João», incluindo o jardim

Outras Designações / Pesquisas

Casa de António Seabra, incluindo o jardim / Casa de António Seabra e o jardim / Casa da Quinta de São João e o jardim / Casa da Quinta da Lavoura de São João e o jardim (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Anadia / Sangalhos

Endereço / Local

E.M. 1656 (entre São João da Azenha e Coito), a 250 m a sul da Capela de São João
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O projecto da Casa de António Seabra, da autoria do arquitecto Cipriano Maia, remonta a 1922, encontrando-se as obras concluídas em 1925. Muito embora a morte do arquitecto, em 1923, tenha obrigado a uma mudança dos planos originais, estamos em presença uma habitação unifamiliar, que se inscreve na vertente estética da "Casa Portuguesa" difundida, principalmente, por Raul Lino. A planta quadrangular com uma espécie de torreão rectangular na extremidade da fachada principal, desenvolve-se em volumes cúbicos e linhas rectas de influência da arquitectura moderna, mas a resposta plástica que se observa no tratamento dos volumes encontra-se ligada a um vocabulário tradicional: telhados de três e quatro águas, múltiplas cornijas em telhado, varanda alpendrada, azulejos a ladear a porta principal (Santo António e São João, da fábrica ELA de Aveiro com data de 1924), ou floreiras das janelas. O próprio "torreão" não deixa de recordar um modelo da casa-torre medieval que a arquitectura civil portuguesa conservou e recuperou nas mais diversas épocas.
No interior, de dois pisos articulados através de escadaria de madeira, as áreas de serviço, o escritório e a zona social encontram-se circunscritas ao piso térreo, estando o superior reservados a quartos e a áreas privadas.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Para um estudo da Casa Portuguesa na Bairrada - De Ventura Terra e Raúl, Boletim da ADERAV, n.º 18, pp. 41-56

Local

Aveiro

Data

1990

Autor(es)

NEVES, Amaro