Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte de São Lázaro - detalhe

Designação

Designação

Ponte de São Lázaro

Outras Designações / Pesquisas

Ponte Pina / Ponte de São Lázaro(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Valongo / Alfena

Endereço / Local

- sobre o rio Leça
Rua

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Localizada na antiga estrada medieval que ligava o Porto a Guimarães, permitindo a passagem sobre o rio Leça, na freguesia de Alfena, a Ponte de São Lázaro apresenta uma estrutura de aparelho de pedra composta por dois arcos desiguais, um mais amplo e central, virado a Este, e outro menor, do lado da margem esquerda, destinado ao escoamento mais eficiente da água em épocas de forte correnteza. Ambos são construídos com aduelas compridas e estreitas, formando uma volta perfeita; o seu intradorso é extremamente regular, constituído por silhares bem aparelhados e dispostos horizontalmente.
Em contraste, o aparelho de enchimento irregular é revelador das sucessivas fases de consolidação da estrutura. Recorrendo a fiadas horizontais de blocos genericamente retangulares, apresenta numerosos cotovelos e cortes verticais, caracterizando-se por uma composição pseudo-isódoma.
O tabuleiro dispõem-se em cavalete de dupla rampa, lajeado com grandes blocos, tendo uma largura máxima de 3,2m, ideal para a passagem de carros de tração animal.
História
A construção primitiva da Ponte de São Lázaro tem sido tradicionalmente atribuída à época romana (Pacheco: 1986, p. 170), hipótese que, por ocasião do restauro da estrutura em 1995, veio a ser encarada como muito provável, na medida em que se identificou um silhar almofado, com "recorte romano" e "marca dos ferrei forfex" (www.monumentos.pt).
Apesar desse provável passado romano, a ponte que chegou até à atualidade data da Baixa Idade Média, cronologia confirmada pelas suas características estruturais e pela documentação que a ela se refere. O tabuleiro é o principal elemento de cronologia medieval, e o facto de algumas pedras apresentarem siglas de canteiro confirma a cronologia pelo século XIII, mas muitas outras existem que não possuem qualquer marca, o que indica ter o monumento sido alvo de reconstruções na Idade Moderna.
Por seu turno, as Inquirições de 1258 indicam que, associada à ponte, existia uma gafaria de leprosos (Ribeiro: 1998, p. 139), solução que tem eco em outras estruturas de passagem da Idade Média portuguesa, em particular em meios rurais. Esta informação atesta a existência da ponte em meados do século XIII, assim como confirma a sua importância no contexto regional, a ponto de aqui se ter implantado uma instituição de assistência. Essa gafaria, a seu tempo, transformou-se em Hospital, sendo referido em 1747, altura em que lhe estava anexa uma capela e algumas casas nas imediações.
No ano de 1995, a Câmara de Valongo procedeu a obras de consolidação da estrutura, substituindo-se, então, o lajeado do pavimento, reconstituindo-se as guardas em granito e impermeabilizando-se o tabuleiro, através de uma solução não visível do exterior. No ano seguinte, a autarquia promoveu um arranjo parcial das margens, com a regularização do curso do rio e a definição de uma zona de lazer.
Junto à ponte, a Capela de São Lázaro recorda o passado assistencial do local. A sua configuração data da época moderna, mas conserva dois elementos espaciais reminiscentes de um templo medieval devotado à assistência: o santuário propriamente dito (composto por nave única e sem capela-mor individualizada volumetricamente) e um alpendre suportado por pilares e protegido por muro a todo a volta.
A Ponte de São Lázaro está classificada como de interesse municipal desde 1977.
Catarina Oliveira
DGPC, 2017

Imagens

Bibliografia

Título

Pontes Antigas Classificadas

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

RIBEIRO, Aníbal Soares

Título

Vias Medievais. I Entre Douro e Minho

Local

Porto

Data

1968

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

O Grande Porto

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

PACHECO, Helder

Título

A ponte medieval de São Lázaro (Alfena, Valongo). Notas sobre o acompanhamento dos trabalhos de conservação e restauro, Portugália, nova série, nº15, pp.161-166

Local

Porto

Data

1994

Autor(es)

CENTENO, Rui Manuel Sobral, SILVA, Armando Coelho Ferreira da, LOPES, António Baptista, MOTA, Magna Araújo