Saltar para o conteúdo principal da página

Cruzeiro da Areosa, denominado «Senhor dos Esquecidos» - detalhe

Designação

Designação

Cruzeiro da Areosa, denominado «Senhor dos Esquecidos»

Outras Designações / Pesquisas

Cruzeiro do Senhor dos Esquecidos / Cruzeiro da Areosa / Cruzeiro do Senhor dos Esquecidos(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Cruzeiro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Viana do Castelo / Areosa

Endereço / Local

Largo da Areosa
Areosa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Localizado perto da Igreja da Areosa, no concelho de Viana do Castelo, o Cruzeiro do Senhor dos Esquecidos é um marco de caminho em granito de manufatura seiscentista.
O cruzeiro é composto por um soco em forma de caixa, sem decoração e assente num único degrau, sobre o qual se ergue a coluna de secção circular estriada. No topo desta, abaixo do capitel, encontra-se uma figurinha sustentando o que parece ser um escudo sem inscrição. O capitel é decorado por seis cabeças aladas, suportando o crucifixo em cruz latina, com braços de secção quadrada rematados por bolas. A figura de Cristo é encimada por um pergaminho, colocado sobre a cruz.
História
A povoação de Areosa está, desde a Idade Média, integrada num dos percursos de peregrinação para Santiago de Compostela paralelo à costa, que liga Viana do Castelo a Valença. A rota, utilizada pelos peregrinos ao longo de séculos, está marcada por inúmeros cruzeiros de encruzilhada que, tanto no Minho como na Galiza, aludem ao caminho compostelano e às paragens dos peregrinos.
O Cruzeiro da Areosa, implantado originalmente entre casebres e olivais, marca também uma etapa deste caminho de romagem, tendo sido edificado muito possivelmente no século XVII por pedreiros locais.
Está classificado desde 1977.
Catarina Oliveira
DGPC, 2017

Imagens