Saltar para o conteúdo principal da página

Fonte das Oliveiras e edifício anexo - detalhe

Designação

Designação

Fonte das Oliveiras e edifício anexo

Outras Designações / Pesquisas

Fonte das Oliveiras / Edifício no Largo de Alberto Pimentel(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Fonte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

Rua General da Silveira
Porto

Rua dos Mártires da Liberdade
Porto

Número de Polícia: 3-5

Largo Alberto Pimentel
Porto

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 45/93, DR, I Série-B, n.º 280, de 30-11-1993 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Localizada no Largo Alberto Pimentel, na confluência das ruas General Silveira e dos Mártires da Liberdade, a Fonte das Oliveiras é um fontanário de espaldar de execução setecentista, de feição barroca.
A estrutura é composta por espaldar retangular de granito dividido em dois panos, cada um com uma saída de água, com aparelho de pedra definido. Ao centro apresenta um corpo saliente, onde foi colocado o único elemento decorativo, um golfinho envolto numa concha, que integra a bica. O tanque desenvolve-se em planimetria semicircular, igualmente desprovido de elementos decorativos.
Atualmente, a fonte está integrada na fachada de um edifício plurihabitacional de planta irregular, dividido em quatro pisos, com exterior totalmente forrado a azulejos industriais azuis e brancos.
História
Construída originalmente na Rua das Oliveiras, a Fonte das Oliveiras é um dos muitos exemplos conservados da rede de abastecimento de água à cidade do Porto, idealizada e concretizada ao longo da época moderna.
A sua construção remonta a 1718, ano em que uma escritura pública permitiu à Casa de Diogo dos Santos Mesquita gerir os recursos das nascentes de água nas imediações.
O fontanário foi objeto de uma primeira remodelação em 1823, quando do desvio do caudal do aqueduto de Paranhos. Mais tarde, no ano de 1866, a fonte seria desmontada e removida da Rua das Oliveiras, "devido a problemas causados pela população que ocupava a via enquanto esperavam para abastecer os cântaros" (Teixeira: 2011, p. 92).
O fontanário voltaria a ser reconstruído em 1879, desta feita no Largo Alberto Pimentel, onde se encontra até hoje. Terá substituído uma antiga fonte, que se encontrava nesse mesmo local, e que terá ficado "soterrada e inferior ao pavimento da dita rua quando se nivellou" (Reis: 1984, p. 182).
Nos finais do século XIX, com o movimento de expansão da cidade, a estrutura acabaria por ficar adossada a um edifício de habitação com fachada inteiramente forrada a azulejos, uma construção tipicamente oitocentista que procurou deter o maior impacto urbanístico possível em relação à envolvência.
No ano de 1941 a Câmara Municipal do Porto procedeu à sua limpeza e recuperação, no decorrer de uma campanha de restauro do património urbano de abastecimento de água à cidade.
A Fonte das Oliveiras foi classificada como de interesse municipal em 1993.
Catarina Oliveira
DGPC, 2018

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal: Cidade do Porto

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

QUARESMA, Maria Clementina de Carvalho

Título

O Abastecimento de Água na Cidade do Porto nos Séculos XVII e XVIII. Aquedutos, Fontes e Chafarizes. Tese de mestrado.

Local

Porto

Data

2011

Autor(es)

TEIXEIRA, Diogo Emanuel Pacheco

Título

Apontamentos para a verdadeira história antiga e moderna da Cidade do Porto.

Local

Porto

Data

1984

Autor(es)

REIS, Henrique Duarte e Sousa