Saltar para o conteúdo principal da página

Quiosque na Praça de Mouzinho de Albuquerque - detalhe

Designação

Designação

Quiosque na Praça de Mouzinho de Albuquerque

Outras Designações / Pesquisas

Quiosque na Praça Mouzinho de Albuquerque (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Quiosque

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

Praça Mouzinho de Albuquerque
Porto

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 2/96, DR, I Série-B, n.º 56, de 6-03-1996 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Mandado construir em 1924, o quiosque da praça Mouzinho de Albuquerque foi erguido no ano seguinte, no jardim desta praça. A estrutura centralizada, de planta octogonal, destaca-se nas suas linhas arquitectónicas singulares e de gosto orientalizante. A cúpula acentua-lhe a verticalidade, e duas janelas de guilhotina rasgam-se para o exterior. Da decoração original mantém ainda os frisos de azulejos com motivos florais e infantis.
Os quiosques, micro-arquitecturas de madeira, ferro ou cimento, tinham como função primordial a venda de frutas, jornais, revistas, tabaco e bebidas nas grandes cidades, onde as suas características peculiares marcavam fortemente a paisagem urbana. O Porto do final do século XIX e início do XX, à semelhança de outras cidades portuguesas, viu nascer nas suas ruas inúmeros quiosques, de cores fortes e envernizadas. Dos cerca de setenta que se chegaram a contar, restam actualmente seis, que perpetuam a memória de uma cidade cheia de cor e de pitorescas construções a cada esquina, como referia Ramalho Ortigão (LUZ, Carla, 02-03-1998).
Actualmente, e desde 2005, o quiosque encontra-se desmontado para restauro.
Rosário Carvalho

Bibliografia

Título

Quiosques resistem à extinção

Local

-

Data

1998

Autor(es)

LUZ, Carla Sofia