Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de São Brás, também denominada «Ermida de São Brás», incluindo o retábulo do altar-mor e o túmulo de Luiz Henriques, fidalgo da corte de D. João I, integrada no cemitério do Bombarral - detalhe

Designação

Designação

Capela de São Brás, também denominada «Ermida de São Brás», incluindo o retábulo do altar-mor e o túmulo de Luiz Henriques, fidalgo da corte de D. João I, integrada no cemitério do Bombarral

Outras Designações / Pesquisas

Capela de São Brás / Ermida de São Brás (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Bombarral / Bombarral e Vale Covo

Endereço / Local

E.M. 582, ao km 1,800, no cemitério do Bombarral
Bombarral

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 2/96, DR, I Série-B, n.º 56, de 6-03-1996 (classificou como VC) (ver Decreto)
Edital de 19-06-1992 da CM do Bombarral
Despacho de homologação de 22-11-1988 a Secretária de Estado da Cultura
Despacho de concordância de 25-10-1988 do presidente do IPPC
Parecer de 13-10-1988 do Conselho Consultivo do IPPC a propor a alteração da designação, de modo a incluir o retábulo do altar-mor do século XVII e o túmulo onde jaz um fidalgo da corte de D. João I
Despacho de homologação de 11-04-1986 da Secretária de Estado da Cultura
Despacho de homologação de 24-03-1986 do presidente do IPPC
Parecer de 18-03-1986 do Conselho Consultivo do IPPC a propor a classificação como VC
Em 6-09-1985 a CM do Bombarral enviou a documentação solicitada
Em 10-07-1985 foi solicitado à CM do Bombarral o envio de documentação para a instrução de um processo de classificação da Capela de São Brás

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Capela de São Brás, situada na zona limítrofe da vila do Bombarral, terá sido edificada em meados do século XVI, no local de uma primitiva ermida, existente já desde o início da centúria anterior. Na galilé do templo original estava sepultado desde cerca de 1430 Luís Henriques, fidalgo da Casa de D. João I a quem o monarca doou a vila de Bombarral pelos serviços prestados nas lutas contra Castela ( Inventário Artístico de Portugal , 2000).
O túmulo do fidalgo foi trasladado para o interior da nova capela, um pequeno edifício maneirista de nave única, que manteve alguns elementos do templo primitivo, como a galilé que antecede o portal principal.
Utilizada pontualmente para as romarias anuais dedicadas a São Brás, esta capela apresenta um conjunto edificativo muito simples, quer ao nível estrutural quer ao nível do programa decorativo. O espaço interior do templo é revestido de azulejos de padrão azuis e amarelos de manufactura seiscentista.
Da época de edificação destaca-se o retábulo maneirista, composto por tábuas alusivas à vida de São Brás, decorado com relevos ornamentais, cuja estrutura e representações pictóricas apresentam muitas semelhanças com o retábulo primitivo da igreja de Santa Maria de Óbidos, atribuído à oficina de Diogo Teixeira.
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/ Outubro de 2005

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - Aveiro, Beja, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

O Bombarral e o seu concelho: subsídios para a sua história

Local

Bombarral

Data

1982

Autor(es)

RAMOS, Augusto José