Saltar para o conteúdo principal da página

Casa da Orca ou «Casa Grande» - detalhe

Designação

Designação

Casa da Orca ou «Casa Grande»

Outras Designações / Pesquisas

Casa da Orca / Casa Grande (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Fundão / Orca

Endereço / Local

Rua Central
Orca

Número de Polícia: 1

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Situada em frente da igreja paroquial de Orca, templo que terá sido fundado no século XVII, a Casa Grande, ou Casa da Orca demonstra, pelo seu posicionamento urbano, a relevância da família responsável pela sua edificação, destacando-se, também, das restantes casas da aldeia, pelo volume de construção que possuiu.
Desenvolvendo-se em planta retangular de disposição horizontal, apresenta uma cobertura homogénea em telhado de quatro águas e beirado duplo projetado. Os dois pisos são definidos por friso em granito e as paredes, rebocadas e pintadas de branco, terminam em pilastras igualmente em granito, o mesmo material que é ainda utilizado no embasamento e no remate em cornija.
No piso inferior da fachada principal abrem-se seis janelas gradeadas de moldura quadrangular de granito com caixilharia de guilhotina e um portal, ao centro, que ostenta uma inscrição por cima do lintel. No piso superior as janelas são idênticas surgindo, a eixo sobre o portal de entrada, uma janela de sacada com gradeamento em ferro forjado.
Os restantes alçados são igualmente depurados surgindo, na fachada Norte, uma pequena janela ao nível térreo que deverá corresponder a uma antiga zona de armazéns, bem como um portão de passagem para um pátio ajardinado.
De notar, adossado ao canto Sul da casa, a existência de um interessante edifício de caráter vernacular com varanda alpendrada de pedra com guardas de madeira.
No interior deste imóvel ganham especial importância os tetos de madeira ou estuque, bem como o hall de entrada com pavimento lajeado a granito por onde se faz o acesso não só aos restantes espaços existentes a este nível, como ao piso superior através de uma escadaria em pedra. Outro interessante pormenor é a pintura marmoreada das paredes, tão ao gosto do século XIX.

História
A data de 1866 inscrita sobre o lintel da porta principal, poderá indicar o ano em que se terá procedido a reformulações sobretudo visíveis ao nível do interior, sendo certo que, tendo em conta as caraterísticas morfológicas e tipológicas desta casa, ela terá sido fundada em data anterior, possivelmente ainda durante o século XVIII.

Maria Ramalho/DGPC/2017.

Imagens