Saltar para o conteúdo principal da página

Fonte armoreada existente nos jardins da Casa de Cabanelas - detalhe

Designação

Designação

Fonte armoreada existente nos jardins da Casa de Cabanelas

Outras Designações / Pesquisas

Fonte Armoriada nos Jardins da Casa de Cabanelas(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Fonte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Penafiel / Bustelo

Endereço / Local

- -
Cabanelas

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Edificada na primeira metade do século XVIII, a fonte armoriada da Casa de Cabanelas ergue-se no terreiro defronte ao solar mandado erigir pelos Sottomayor Menezes em Bustelo, no concelho de Penafiel. Terá sido construída durante a campanha de obras de ampliação do edifício habitacional, iniciada em 1690 e apenas concluída em 1771, tudo indicando que a sua fábrica se deve a António Afonso de Meneses Pereira de Sottomayor.
A fonte barroca apresenta espaldar definido por pilastras laterais encimadas por vasos e unidas por aletas que formam um frontão triangular, interrompido. Ao centro, entre volutas e outros enrolamentos que preenchem a totalidade do pano murário, observa-se um escudo esquartelado: no primeiro, Pereira; no segundo Sottomayor; no terceiro Silva; e no quarto Meneses. Tem elmo de perfil e timbre dos Pereiras (Silva: 1958, p. 25). A bica, em forma de carranca, jorra água para um tanque formado por uma pedra escavada.
A casa, de planta retangular, apresenta uma longa fachada, que se caracteriza pela depuração do conjunto, com janelas ao nível do andar nobre e portas de verga reta no piso térreo. Ao centro foi erigida uma escadaria de lanço único que permite o acesso à porta principal, no andar nobre. Sobre a cornija, ergue-se um outro piso, possivelmente acrescentado numa época posterior, que desenha um frontão triangular sobre a entrada. Na fachada posterior eleva-se uma torre ameada, vestígio de construções mais antigas, e algumas dependências de cariz utilitário.
Na extremidade esquerda do frontispício foi construída a capela, uma edificação de meados do século XX, época em que o primitivo templo particular da casa foi demolido por estar mal localizado em relação à casa e aos jardins (Pimentel: 1965, pp. 47-48), dando lugar ao atual. Entre a casa e a capela foi erguido um pequeno corpo, com varanda protegida por balaustrada.
História
É à família Sottomayor e Meneses que se atribui a edificação, ou ampliação, da Casa de Cabanelas entre 1690 e 1771 (Pimentel: ibidem, p. 45)
A data de 1690, que tem vindo a ser entendida como o início das obras de ampliação de um imóvel já aí existente, encontrava-se numa janela de pedra que ligava a casa à capela. A janela encontra-se, hoje, no Museu Arqueológico de Penafiel, depois de ter sido substituída por uma porta, em meados do século XX (Silva: ibidem). Não se conhece também o nome do proprietário que patrocinou estas obras, apenas se identificando D. Teresa Maria da Silva e Magalhães como Senhora da Casa, cerca de 1700.
Já em 1771, ano que surge no peitoril de uma outra janela e que se assume como o ano de conclusão das obras, era proprietário da casa Bento Rodrigo Pereira Sottomayor e Meneses, casado com Clara Rosa Benedita de Barbosa.
Terá sido António Afonso de Meneses Pereira de Sottomayor, que em 1732 casou com a herdeira da Casa de Cabanelas, Clidónia Rosa de Magalhães da Silva, e foi pai do referido Bento Sottomayor e Meneses, o responsável pela edificação da fonte, tal como parecem indicar as armas observadas no escudo. No mesmo sentido concorre a própria configuração da fonte, que permite a atribuição da sua construção à primeira metade do século XVIII.
Catarina Oliveira
DGPC, 2016
(com a colaboração de Maria Helena Bernardo, Museu de Penafiel)

Imagens

Bibliografia

Título

Nobres Casas de Portugal

Local

Porto

Data

1958

Autor(es)

SILVA, António Lambert Pereira da

Título

O Solar de Cabanelas, Penafidel. Boletim da Comissão Municipal de Cultura, 2.ª Série, n.º 3, p. 45-48

Local

Penafiel

Data

1965

Autor(es)

PIMENTEL, Ângelo

Título

As Freguesias do Distrito do Porto nas Memórias Paroquiais de 1758

Local

Braga

Data

2009

Autor(es)

OLIVEIRA, Carlos Prada de, CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique