Saltar para o conteúdo principal da página

Prédio de Gaveto entre a Avenida da República, 23, e a Avenida João Crisóstomo - detalhe

Designação

Designação

Prédio de Gaveto entre a Avenida da República, 23, e a Avenida João Crisóstomo

Outras Designações / Pesquisas

Prédio de Gaveto entre a Avenida da República, 23, e a Avenida João Crisóstomo, 19 / Prédio na Avenida da República, 23 / Edifício de Gaveto entre a Avenida da República, n.º 23 e a Avenida João Crisóstomo(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Edifício

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Avenidas Novas

Endereço / Local

Avenida João Crisóstomo
Lisboa

Número de Polícia: 19

Avenida da República
Lisboa

Número de Polícia: 23

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)
Edital N.º 82/75 de 25-08-1975 da CM de Lisboa
Edital N.º 50/75 de 25-06-1975 da CM de Lisboa
Despacho de homologação de 13-02-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer de 7-02-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação como VC
Proposta de classificação de 16-01-1975 da DGAC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
O edificio de gaveto que se encontra entre a Avª da República e a Av.ª João Crisóstomo, foi projetado por Miguel Nogueira Júnior em 1911, encontrando-se terminado em 1913, ano em que recebe o Prémio Valmor. Destacando-se pelo ecletismo, cujo traço dominante é o diálogo plástico entre os modelos franceses e alemães em voga, o arquiteto parece neste caso querer fugir à predominância dos modelos franceses "fin de siécle", sem no entanto deixar de marcar a sua presença na cobertura em mansarda pintada a negro, na decoração ornamental de algumas cantarias e do tímpano ao nível do segundo e terceiro pisos, bem como nas linhas Arte Nova marcadas no gradeamento em ferro forjado ondulante das janelas. Contudo, a presença de uma contenção decorativa, que assim se subordina às formas arquitetónicas, denota um olhar cuidado para as propostas construtivas alemãs, também presentes no jogo de linhas entre uma verticalidade estrutural composta por cinco andares e a sugestão curvilinea de três massas salientes, corrobada pelas "bow windows" que aí se rasgam. De destacar ainda, na fachada virada à Av.ª da República, a seguinte inscrição incisa no soco de cantaria: "PREMIO VALMOR ANNO - 1913 / PROPRIETARIO - JOSE - A - SANTOS / ARQUITECTO - MIGUEL - NOGUEIRA". Maria Ramalho/DGPC/2016.

Imagens

Bibliografia

Título

Prémio Valmor : 1902-1952

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

BAIRRADA, Eduardo Martins