Saltar para o conteúdo principal da página
Património Cultural

Residência Solarenga da Quinta do Juncal - detalhe

Designação

Designação

Residência Solarenga da Quinta do Juncal

Outras Designações / Pesquisas

Residência Solarenga da Quinta do Juncal (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Solar

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Torres Vedras / Santa Maria, São Pedro e Matacães

Endereço / Local

-- -
Matacães

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 45/93, DR, I Série-B, n.º 280, de 30-11-1993 (ver Decreto)
Edital N.º 106/90 de 6-12-1990 da CM de Torres Vedras
Despacho de homologação de 3-08-1990 do Secretário de Estado da Cultura
Despacho de concordância de 23-07-1990 do presidente do IPPC
Parecer de 12-07-1990 da 9.ª Secção do Conselho Consultivo do IPPC a propor a classificação como VC
Informação favorável de 18-01-1990 do IPPC
Proposta de classificação de 20-02-1989 do Prior da Paróquia de Nossa Senhora da Oliveira

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Situada no largo principal da freguesia de Matacães, a residência solarenga da Quinta do Juncal destaca-se pelas singulares dimensões dos seus volumes, desenhando uma planta em L, antecedidos por muro gradeado com portão. A implantação privilegiada junto à igreja matriz, um templo remodelado em meados do século XVI no qual se encontra um altar da família Melo, da Quinta da Juncal, conferia-lhe uma maior relevância, partilhando assim o centro de poder e religiosidade, particularmente significativo aquando das grandes romarias devocionais a Nossa Senhora da Oliveira.
Não há certezas quanto à data da edificação deste imóvel, que se pensa remontar ao século XIX. Assim o indica a sobriedade neoclássica que se observa nos alçados da residência e na fachada da capela situada no canto esquerdo, rematada por frontão triangular. Esta, numa das extremidades do corpo central, é marcada pelas pilastras coroadas por urnas que a delimitam, com portal de verga recta encimado por frontão semicircular, sobrepujado por janelão. O alçado principal da casa desenvolve-se em dois pisos, abertos por vãos simétricos, com portas de verga curva no piso térreo e janelas de sacada no andar nobre. Os alçados dos corpos laterais são mais altos e irregulares.
O pátio fronteiro á casa é delimitado por muro gradeado, que desenha um semicírculo. A quinta integra ainda um conjunto de construções de apoio agrícola
Rosário Carvalho/IPPAR/2005. Atualizado por Maria Ramalho/DGPC/2016.

Imagens

Bibliografia

Título

Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, vol. IV

Local

Lisboa

Data

1963

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de, FERRÃO, Julieta, GUSMÃO, Adriano de