Saltar para o conteúdo principal da página

Quinta Nova ou de Santo António, ou dos Ingleses, e respetiva alameda - detalhe

Designação

Designação

Quinta Nova ou de Santo António, ou dos Ingleses, e respetiva alameda

Outras Designações / Pesquisas

Quinta de Santo António / Quinta dos Ingleses / Palácio da Quinta Nova / Quinta de Santo António / Quinta dos Ingleses(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Quinta

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Cascais / Carcavelos e Parede

Endereço / Local

Avenida General Eduardo Galhardo
Carcavelos

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como CIM - Conjunto de Interesse Municipal

Cronologia

Aviso de 8-01-2013 da CM de Cascais, publicado no Boletim Municipal de 29-04-2013
Despacho de homologação da Vereadora da Cultura e Educação da CM de Cascais a deterrminar a classificação como CIM da Quinta Nova ou de Santo António, ou dos Ingleses, e respetiva alameda
Enviada cópia do processo pelo Ministério da Cultura à CM de Cascais em 11-05-2010 a fim de ponderar a conclusão do procedimento
Edital de 27-03-1998 da CM de Cascais
Despacho de concordância de 11-02-1998 do Ministro da Cultura
Parecer de 5-02-1998 do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como VC
Despacho de 20-05-1994 do presidente do IPPAR a determinar a abertura da instrução do processo de classificação
Parecer de 17-05-1994 do Conselho Consultivo do IPPAR favorável à classificação
Proposta de classificação de 25-08-1989 dos eleitos da CDU nos vários órgãos autárquicos do concelho de Cascais

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
A Quinta Nova ou Quinta dos Ingleses que corresponde, em grande medida, a uma antiga residência nobre, localiza-se próximo da costa, em frente da praia de Carcavelos, num local onde foram também detetados diversos vestígios de época pré-histórica, encontrando-se atualmente inserida numa área verde murada, com cerca de 7 hectares.
Do conjunto edificado que foi sendo alterado ao longo dos séculos, fazem parte, entre outros, dois corpos retangulares de quatro águas e comprimentos diferentes que se intercetam ao centro do maior corpo contruído. É na fachada norte deste edifício que se localiza a entrada principal sobre a qual se encontra o brasão de armas do Morgado da Alagoa. O acesso a este pórtico faz-se subindo uma escadaria de características barrocas que se encontra protegida por galilé com abertura em arco de pedra. No piso inferior desta fachada, ao nível da semi-cave, são visíveis janelas elípticas com gradeamentos metálicos, sendo que a restante fenestração do palácio é retangular.
Da antiga capela que se localiza no ângulo noroeste do edifício principal, apenas permanece a fachada e, no interior, um conjunto de lambris azulejados.
A frente sul do solar, muito alterada ao longo dos anos, foi concebida de forma diversa, apresentando, nos seus extremos, dois torreões avançados sobre uma esplanada construída em fase posterior. Esta fachada, com vistas privilegiadas sobre o mar, encontra-se ligada ao jardim de buxo onde se destaca um lago circular com uma fonte em pedra.
No interior, nas áreas mais nobres, são visíveis alguns lambris azulejares de cercaduras barrocas da primeira metade do século XVIII. Os azulejos mais interessantes foram transladados da antiga capela e correspondem a um grupo de 5 painéis de estilo rococó apresentando aspetos da vida de Maria e Jesus menino.
Tanto para norte como para sul, segundo um eixo central e perpendicular ao palácio, partiam duas alamedas que atingiam as extremas da propriedade, desde o centro de Carcavelos até às arribas da costa. Destes eixos apenas restam dois pequenos troços.
História
A documentação mais antiga remete esta quinta para uma época anterior à criação do município de Cascais, antes de 1364, designando-a como Quinta da Ordem, que pertencia ao Hospital e Gafaria do Santo Espírito de Sintra. A partir do século XVI o foro da Quinta é pago à Santa Casa da Misericórdia de Sintra e depois de Cascais. Foi principalmente pelo impulso dos seus diversos arrendatários que a quinta sofreu grandes ampliações sobretudo em finais de seiscentos e na segunda metade de setecentos, dando origem a uma propriedade denominada Quinta de Santo António com cerca de 62 hectares. O atual palácio será criado nos finais do século XVIII, por iniciativa do Morgado de Alagoa.
Durante o século XIX a propriedade passa para as mãos de companhias inglesas ligadas ao setor das telecomunicações, implantando-se junto da costa um conjunto de novos edifícios e uma linha telegráfica submarina que, passando por Carcavelos, ligava Inglaterra à Índia. Na segunda metade do século XIX inicia-se, também, um processo de retração da propriedade, sobretudo devido à construção da linha do caminho-de-ferro, acentuando-se este processo durante os finais do século XX, início do XXI, com a urbanização de Carcavelos e a construção de novos eixos rodoviários. No ano de 1939, a "Saint Julian's Association" transforma o espaço disponível do palácio em escola inglesa até que, em 1963, toma posse de toda a propriedade. Atualmente a "Saint Julian's" só possuiu uma precentagem mínima de terrenos na envolvente do palácio tendo estes passado para as mãos de uma empresa do setor imobiliário. O fenómeno de urbanização da quinta que parece imparável, tem contribuído para alterar negativamente o enquadramento do conjunto classificado, reduzindo também drasticamente o que restava de área verde na região de Carcavelos.
Maria Ramalho/DGPC/2015. Colaboração de Mário Lisboa/CMCascais

Imagens

Bibliografia

Título

Quintas e palácios nos arredores de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

STOOP, Anne de

Título

Solares Portugueses - Introdução ao Estudo da Casa Nobre

Local

Lisboa

Data

1969

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

The History of the Quinta Nova de Santo António, Carcavelos - 1730 to the Present, The British Historical Society of Portugal - 14th Annual Report

Local

Carcavelos

Data

1987

Autor(es)

NORTON, Manuel Artur

Título

O Solar do Morgado da Alagoa -os irmãos Cruz e os significados de um património construído - segunda metade do século XVIII

Local

Lisboa

Data

2009

Autor(es)

LISBOA, Mário Eurico

Título

O Tombo do hospital e Gafaria de Sintra, Cascais

Local

Cascais

Data

1997

Autor(es)

MIGUÉNS, Maria Isabel

Título

História das Telecomunicações em Portugal 1877-1990: Contributos para a sua Compreensão

Local

Lisboa

Data

1992

Autor(es)

SANTOS, Rogério

Título

History of Telegraphy

Local

London

Data

2008

Autor(es)

BEAUCHAMP, Ken