Saltar para o conteúdo principal da página

Casa de Vieira Guimarães - detalhe

Designação

Designação

Casa de Vieira Guimarães

Outras Designações / Pesquisas

Casa de Vieira Guimarães(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Tomar / Tomar (São João Baptista) e Santa Maria dos Olivais

Endereço / Local

Rua Serpa Pinto
Tomar

Rua Marquês de Tomar
Tomar

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 (ver Decreto)
Edital N.º 144 de 28-11-1978 da CM de Tomar
Edital N.º 90 de 10-07-1978 da CM de Tomar
Despacho de homologação de 18-05-1978 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer favorável de 12-05-1978 da COISPCN
Proposta de 1-02-1977 da DGAC para a classificação como VC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Situada junto à Ponte Velha de Tomar, fronteira ao rio Nabão, a Casa de Vieira Guimarães foi construída entre 1920 e 1922, para habitação. O edifício é formado pela conjugação de dois corpos retangulares dispostos em planta trapezoidal, conjugados ao centro por um torreão octogonal rematado com coruchéu desenhado pelo proprietário (FRANÇA, 1994, p. 102). A fachada divide-se em dois andares onde se dispõem aberturas a espaços regulares. No piso térreo, que durante anos albergou a pastelaria "A Primorosa de Tomar", foram rasgadas várias portas de moldura retangular, e no piso superior, janelas de peito com "poisa ferros" e janelas de sacada com varandins ornamentados com os símbolos da Ordem de Cristo e as iniciais do proprietário original, VG. Duas das janelas apresentam insculpidas as datas 1920 e 1922. O espaço interior foi alterado nas últimas décadas, para adaptar o edifício a funções culturais.
História
A casa foi edificada pelo Dr. José Vieira da Silva Guimarães, médico e historiador tomarense, que aí residiu até ao final da vida. De acordo com o gosto eclético da época, apresenta um modelo neomanuelino que conjuga ainda elementos típicos da "casa portuguesa". Por disposição testamentária do Dr. Vieira Guimarães, a casa foi doada à Câmara Municipal de Tomar com o objetivo de o espaço ser utilizado para fins culturais. Para além do já referido estabelecimento comercial, que funcionou no piso térreo até 1990, o edifício albergou no primeiro piso a Biblioteca Calouste Gulbenkian. Atualmente, é um espaço de exposições temporárias, gerido pela câmara municipal.
Catarina Oliveira
DGPC, 2015
Em colaboração com a Câmara Municipal de Tomar (Renata Faria Barbosa), 2015

Imagens

Bibliografia

Título

Anais do Município de Tomar

Local

Tomar

Data

1967

Autor(es)

ROSA, Amorim

Título

Tomar

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

FRANÇA, José-Augusto

Título

Tomar - Perspectivas

Local

Tomar

Data

1991

Autor(es)

COUTO, José Jorge, ROSA, José Alberto