Saltar para o conteúdo principal da página

Casa de Vieira Guimarães - detalhe

Designação

Designação

Casa de Vieira Guimarães

Outras Designações / Pesquisas

Casa de Vieira Guimarães(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Tomar / Tomar (São João Baptista) e Santa Maria dos Olivais

Endereço / Local

Rua Serpa Pinto
Tomar

Rua Marquês de Tomar
Tomar

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 (ver Decreto)
Edital N.º 144 de 28-11-1978 da CM de Tomar
Edital N.º 90 de 10-07-1978 da CM de Tomar
Despacho de homologação de 18-05-1978 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer favorável de 12-05-1978 da COISPCN
Proposta de 1-02-1977 da DGAC para a classificação como VC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Situada junto à Ponte Velha de Tomar, fronteira ao rio Nabão, a Casa de Vieira Guimarães foi construída entre 1920 e 1922, para habitação. O edifício é formado pela conjugação de dois corpos retangulares dispostos em planta trapezoidal, conjugados ao centro por um torreão octogonal rematado com coruchéu desenhado pelo proprietário (FRANÇA, 1994, p. 102). A fachada divide-se em dois andares onde se dispõem aberturas a espaços regulares. No piso térreo, que durante anos albergou a pastelaria "A Primorosa de Tomar", foram rasgadas várias portas de moldura retangular, e no piso superior, janelas de peito com "poisa ferros" e janelas de sacada com varandins ornamentados com os símbolos da Ordem de Cristo e as iniciais do proprietário original, VG. Duas das janelas apresentam insculpidas as datas 1920 e 1922. O espaço interior foi alterado nas últimas décadas, para adaptar o edifício a funções culturais.
História
A casa foi edificada pelo Dr. José Vieira da Silva Guimarães, médico e historiador tomarense, que aí residiu até ao final da vida. De acordo com o gosto eclético da época, apresenta um modelo neomanuelino que conjuga ainda elementos típicos da "casa portuguesa". Por disposição testamentária do Dr. Vieira Guimarães, a casa foi doada à Câmara Municipal de Tomar com o objetivo de o espaço ser utilizado para fins culturais. Para além do já referido estabelecimento comercial, que funcionou no piso térreo até 1990, o edifício albergou no primeiro piso a Biblioteca Calouste Gulbenkian. Atualmente, é um espaço de exposições temporárias, gerido pela câmara municipal.
Catarina Oliveira
DGPC, 2015
Em colaboração com a Câmara Municipal de Tomar (Renata Faria Barbosa), 2015

Imagens

Bibliografia

Título

Anais do Município de Tomar

Local

Tomar

Data

1967

Autor(es)

ROSA, Amorim

Título

Tomar - Perspectivas

Local

Tomar

Data

1991

Autor(es)

COUTO, José Jorge, ROSA, José Alberto

Título

Tomar

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

FRANÇA, José-Augusto