Saltar para o conteúdo principal da página

Edifício da Cadeia - detalhe

Designação

Designação

Edifício da Cadeia

Outras Designações / Pesquisas

Edifício dos antigos Paços do Concelho de Castelo de Paiva / Câmara Municipal de Sobrado / Câmara Municipal e Cadeia de Castelo de Paiva (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Edifício

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Castelo de Paiva / Sobrado e Bairros

Endereço / Local

Praça da República
Castelo de Paiva

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

A classificação como VC foi convertida para IM nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, I Série-A, N.º 209, de 8-09-2001
Decreto n.º 45/93, DR, I Série-B, n.º 280, de 30-11-1993 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Construído pela Casa de Bragança no início do século XVIII, este edifício destinava-se, originalmente, a receber, no piso superior, os Paços do Concelho, reservando-se o piso térreo para a cadeia, numa divisão funcional bastante comum para a época. Mais tarde, a necessidade de espaço e de melhores condições levou à edificação de um novo imóvel para acolher os serviços do município, que estava concluído em 1908. A partir desse ano, o antigo edifício dos Paços de Concelho de Castelo de Paiva apenas conservou a cadeia, que aí se manteve até à década de 1970. Pelo andar superior e, depois pela cadeia, passaram vários serviços, entre os quais se destaca o posto de Turismo, a sala de exposições, o posto da GNR...
O edifício, de planta rectangular, desenvolve-se em dois pisos, com entrada principal ao nível superior, a que se acede através de escadaria de lanços opostos paralela à fachada. Sobre a porta, exibe-se o antigo brasão do concelho: "partido de Portugal moderno e dos de Bragança, que é aspa carregada dos cinco escudetes, com reduzido lambel no chefe, diadema de nobreza" (GONÇALVES, 1991). De uma forma geral, trata-se de um imóvel muito depurado, com vãos rectos e sem outra decoração que não o brasão. Interiormente, o piso superior encontra-se bastante descaracterizado e no inferior pode ainda observar-se o corredor central que dividia a ala dos homens da ala das mulheres.
(RC)

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Aveiro

Local

Lisboa

Data

1959

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira