Saltar para o conteúdo principal da página
Património Cultural

Complexo arqueológico de Olelas - detalhe

Designação

Designação

Complexo arqueológico de Olelas

Outras Designações / Pesquisas

Povoado de Olelas / Complexo Arqueológico de Olelas (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Conjunto

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Sintra / Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar

Endereço / Local

-- -
Olelas

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como SIP - Sítio de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 208/2013, DR, 2.ª série, n.º 71, de 11-04-2013 (com restrição) (ver Portaria)
Relatório final do procedimento aprovado por despacho de 22-01-2013 da diretora-geral da DGPC
Procedimento prorrogado até 30-06-2013 pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Anúncio n.º 13715/2012, DR, 2.ª série , n.º 223, de 19-11-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 22-10-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 18-10-2012 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo para a classificação como SIP
Procedimento prorrogado pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 6-01-1993 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de 5-01-1993 do IPPAR para a abertura da instrução do processo de classificação
Proposta de classificação de 11-12-1992 da CM de Sintra

ZEP

Portaria n.º 208/2013, DR, 2.ª série, n.º 71, de 11-04-2013 (com restrições) (ver Portaria)
Relatório final do procedimento aprovado por despacho de 22-01-2013 da diretora-geral da DGPC
Anúncio n.º 13715/2012, DR, 2.ª série , n.º 223, de 19-11-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 22-10-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 18-10-2012 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Sítio
O arqueossítio designado por "Complexo arqueológico de Olelas" encontra-se em meio rural, na margem esquerda da Ribeira de Cheleiros e na extremidade da cumeada da Serra de Olelas.
O local apresenta uma longa ocupação temporal, sendo que as unidades estratigráficas mais antigas remetem para o Neolítico Final, não existindo, no entanto, estruturas identificadas deste período. A este nível sobrepõe-se depois uma ocupação Calcolítica com estruturas constituídas por alguns troços de muralhas que ligam dois torreões de planta circular e uma torre semicircular adossada às muralhas nos lados oeste e sul, compondo assim um complexo sistema defensivo de configuração quadrangular que aproveita ainda as duas falésias rochosas localizadas nos lados norte e este. A área envolvida por estas estruturas é muito reduzida, sendo por isso difícil conceber a instalação de uma comunidade dentro da área muralhada. De referir, no entanto, a existência de muito material arqueológico fora do perímetro das muralhas, o que pode indicar a possibilidade de existir para além do pequeno reduto central, linhas exteriores de muralha, um modelo similar a outros povoados fortificados estremenhos.
De facto, este povoado faria parte de uma rede alargada de pequenos povoados localizados em altura e com alguma monumentalidade, apresentando uma realidade comum, por exemplo, com Vila Nova de São Pedro, igualmente abandonado ainda em pleno Calcolítico, desconhecendo-se quais as causas que levaram a este abandono.
Quando ao espólio exumado durante as escavações arqueológicas, destaca-se um ídolo de cornos característico deste horizonte cultural na Península de Lisboa, objeto encontrado no interior da torre semicircular. Foi também recolhida cerâmica campaniforme, fragmentos de cerâmica não decorada para além de algumas contas e vasos de calcário.

História
O Complexo Arqueológico de Olelas foi referido pela primeira vez em 1878 por Carlos Ribeiro, tendo apenas sido alvo de uma intervenção arqueológica nos anos cinquenta por Eduardo da Cunha Serrão e Eduardo Prescott Vicente que identificaram as muralhas e os dois torreões circulares julgando tratar-se de um conjunto de tholoi (monumentos funerários).
O arqueossítio volta a ser escavado nos finais da década de oitenta e inícios da década de noventa (entre 1988 e 1992) por João Ludgero Marques que coloca a descoberto alguns troços da muralha que unia os dois torreões circulares e a torre adossada à muralha, obrigando assim a uma completa revisão da análise que tinha sido feita anteriormente. Foi também no âmbito desta escavação que se estabeleceu uma cronologia mais precisa do sítio, entre o 4º e o 3º milénio, nomeadamente com a realização datações por radiocarbono (14C).

Ana Teresa Henriques e Maria Ramalho/DGPC/2018

Imagens

Bibliografia

Título

Mobilidade estratégica e prolongamento simbólico: problemáticas do abandono no povoamento calcolítico do Ocidente peninsular, (Era) Arqueologia

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

VALERA, António Carlos Neves de

Título

Do Paleolítico ao Romano. Investigações arqueológicas na área de Lisboa. Os últimos 10 anos: 1984-1993 , Al-madan

Local

Almada

Data

1994

Autor(es)

CARDOSO, João

Título

Ídolos de cornos de Olelas e Serra das Éguas , Al-madan

Local

Almada

Data

1993

Autor(es)

GONÇALVES, João Ludgero Marques

Título

O castro eneolítico de Olelas. Primeiras escavações , Comunicações dos Serviços Geológicos de Portugal

Local

Lisboa

Data

1958

Autor(es)

SERRÃO, Eduardo da Cunha, VICENTE, Eduardo Prescott

Título

O povoado fortificado Neo e Eneolítico do Penedo de Lexim (Mafra). Campanha preliminar de escavações - 1970, O Arqueólogo Português

Local

Lisboa

Data

1971

Autor(es)

JORGE, Vítor de Oliveira, OLIVEIRA, Vasco Salgado de, ARNAUD, José Eduardo Morais

Título

Antecedentes pré-históricos dos Castros da Idade do Ferro: os castros da Idade do Cobre em Portugal

Local

Porto

Data

1973

Autor(es)

FERREIRA, Octávio da Veiga

Título

O Penedo do Lexim e a sequência do neolítico final e calcolítico da Península de Lisboa, tese policopiada apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Local

Lisboa

Data

2010

Autor(es)

SOUSA, Ana Catarina

Título

O Neolítico Final e o Calcolítico na área da Ribeira de Cheleiros. Trabalhos de Arqueologia, vol. 11

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

SOUSA, Ana Catarina