Saltar para o conteúdo principal da página

Moinho Manuelino da Ribeira de Pernes - detalhe

Designação

Designação

Moinho Manuelino da Ribeira de Pernes

Outras Designações / Pesquisas

Moinho Manuelino em Pernes(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Moinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Santarém / Pernes

Endereço / Local

-- -
Ribeira de Pernes

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma)
Proposta de 31-12-2010 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo para a revogação do despacho de abertura, por não ter valor nacional, e o envio de cópia do processo à CM de Santarém para a ponderação da classificação como de IM
Despacho de abertura de 2-12-1997 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de 24-11-1997 da DR de Lisboa para a abertura da instrução de processo de classificação
Proposta de classificação de 5-02-1992 da CM de Santarém

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O moinho manuelino de Pernes situa-se na ribeira do mesmo nome, junto ao rio Alviela, fazendo parte de um conjunto de moinhos hidráulicos e azenhas do século XII, cujo núcleo original incluía uma série de engenhos doados por D. Afonso Henriques à Ordem Templária, no movimento de conquista e povoamento desta zona do país. A sua estrutura primitiva foi reconstruída em finais do século XV, e em 1497 regista-se a utilização do moinho como habitação de recreio do conde de Abrantes, para cujo efeito foi adaptado o piso superior. Essa utilização fica bem patente nas três janelas do andar nobre, com moldurações manuelino-mudéjares de verga recortada, maineladas (a da fachada sul hoje sem mainel), que constituíam os mais significativos elementos arquitectónicos do imóvel, infelizmente já bastante descaracterizados. No século XVIII o moinho deixa de funcionar, e o edifício abriga então uma série de fábricas e oficinas, até ser aí instalada uma central hidro-eléctrica para serviço da vila de Santarém. Pertence hoje à Santa Casa da Misericórdia. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Engenhos de moagem no século XVI: técnicas e estruturas, Sep. Do tempo e da história, 1

Local

-

Data

1965

Autor(es)

GIL, Maria Olímpia

Título

Os Moinhos de Pernes - Memória Descritiva

Local

-

Data

1991

Autor(es)

CUSTÓDIO, Jorge