Saltar para o conteúdo principal da página

Conjunto urbano da Quinta da Bela Vista - detalhe

Designação

Designação

Conjunto urbano da Quinta da Bela Vista

Outras Designações / Pesquisas

Quinta da Bela Vista(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Conjunto Urbano

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Sintra / Cacém e São Marcos

Endereço / Local

Rua Ribeiro de Carvalho
Agualva-Cacém

Número de Polícia: 2-24

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação para IM - Interesse...

Cronologia

(Aguarda comunicação da CM de Sintra de que não houve reclamações e de que a classificação é eficaz)
Edital N.º 292/06, de 5-09-2006 da CM de Sintra
Deliberação camarária de 9-08-2006 a aprovar a classificação como de IM
Edital N.º 337/05 de 19-07-2005 da CM de Sintra
Em 1-06-2005 foi dado conhecimento do despacho aos proprietários e à CM de Sintra
Despacho de 17-05-2005 do presidente do IPPAR a revogar o despacho de abertura
Despacho de concordância de 15-05-2003 do presidente do IPPAR
Parecer de 7-05-2003 do Conselho Consultivo do IPPAR a considerar que o conjunto em causa, merecendo protecção específica, se inscreve na categoria de IIM
Proposta de 29-01-2003 da DR de Lisboa para revogação do despacho de abertura, por não ter valor nacional
Edital N.º 165/96 de 26-04-1996 da CM de Sintra
Despacho de abertura de 14-11-1995 do presidente do IPPAR
Proposta de 13-11-1995 da DR de Lisboa para a abertura da instrução do processo de classificação
Proposta de 30-10-1995 da CM de Sintra para a classificação como VC, após deliberação camarária de 28-07-1995

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Situada no centro urbano do Cacém mas usufruindo ainda de uma importante área verde, a Quinta da Bela Vista é um dos poucos testemunhos das propriedades rurais que, no século XIX, existiam na região. Correspondendo a uma propriedade murada que acompanha o declive acentuado da encosta junto à ribeira das Jardas destaca-se, em termos patrimoniais, pela profusão de painéis de azulejos aplicados nas fachadas, sobretudo em redor dos vãos. As temáticas escolhidas vão desde motivos florais, representações de Santos a edifícios históricos. A generalidade dos edifícios da quinta, construídos em finais do século XIX, encontram-se virados à via que hoje ostenta o nome do antigo proprietário: Joaquim Ribeiro de Carvalho. Apesar de muito arruinados, é possível distinguir o edifício de habitação principal situado numa esquina a sul da propriedade. Este destacava-se não só pela profusão de janelas pontuadas por painéis de azulejos, como pelos beirados ondulados e pela entrada principal marcada por elegantes colunas. De notar ainda que na parte rústica da propriedade, área de grande interesse agrícola por se encontrar junto a uma linha de água, Ribeiro de Carvalho chegou a produzir vinho.

História
A quinta pertenceu a Joaquim Ribeiro de Carvalho (1880-1942), natural de Leiria, conceituado jornalista e político republicano que chegou mesmo a ser nomeado por diversas vezes deputado. Ribeiro de Carvalho foi igualmente um membro ativo da Maçonaria e da Carbonária Portuguesa. Sabe-se que em 1923 o edifício sofreu obras por iniciativa do proprietário mas, mais recentemente (1988), a Câmara Municipal de Sintra realizou uma permuta com os herdeiros, permanecendo a casa e os anexos na família, ficando a autarquia com a zona junto à Ribeira das Jardas, hoje transformada no conhecido "Parque Urbano da Bela Vista".
Maria Ramalho/DGPC/2016.

Imagens