Saltar para o conteúdo principal da página

Casa apalaçada e jardim - detalhe

Designação

Designação

Casa apalaçada e jardim

Outras Designações / Pesquisas

Antiga Biblioteca e Arquivo Histórico do MEPAT / Casa apalaçada e jardim sita na Avenida da Liberdade / Edifício na Avenida da Liberdade, 193 / Casa na Avenida da Liberdade, n.º 193 (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Edifício

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Santo António

Endereço / Local

Avenida da Liberdade
Lisboa

Número de Polícia: 193

Rua Barata Salgueiro
Lisboa

Número de Polícia: 19

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-D/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (ver Portaria)
Relatório final do procedimento aprovado por despacho de 21-08-2012 da subdiretora-geral da DGPC
Anúncio n.º 8657/2012, DR, 2.ª série, n.º 78, de 19-04-2012 (ver Anúncio)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Despacho de homologação de 11-04-2011 do Secretário de Estado da Cultura
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de concordância de 16-06-2008 da subdirectora do IGESPAR, I.P.
>Parecer favorável de 11-06-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 16-06-2006 da DR de Lisboa do IPPAR para a classificação como IIP
Despacho de abertura de 24-06-1987 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de classificação de 22-05-1987 da DGAC

ZEP

Em 9-08-2019 foi dado conhecimento do despacho à CM de Lisboa
Despacho de arquivamento de 18-07-2019 da diretora-geral da DGPC
Proposta de 17-07-2019 do Departamento dos Bens Culturais da DGPC para o arquivamento do processo de fixação da ZEP, atendendo a que não subsiste um único edifício dentro da ZEP proposta que não tenha sido entretanto alterado e alteado
Parecer de 15-06-2016 do gabinete Jurídico da DGPC a considerar que a lei não proíbe a delimitação desta ZEP, pelo que a proposta da DGPC não é ilegal
Em 5-11-2015 a CM de Lisboa remeteu o seu parecer, no sentido de que a ZEP seria ilegal por o imóvel se integrar no conjunto classificado da Avenida da Liberdade

Em 2-07-2015 foi solicitado à CM de Lisboa um parecer sobre a proposta de ZEP
Despacho de concordância de 2-07-2017 do diretora-geral da DGPC
Proposta de 9-04-2015 do Departamento dos Bens Culturais da DGPC

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Construção de finais do século XIX, este edifício sofreu algumas alterações, culminando com a instalação, no seu interior, do Arquivo Histórico do MOPTC, em 1994 (que viria a sair cerca de 2010 aquando das reformas do estado tendo parte ingressado na Torre do Tombo).
De planta rectangular e volumetria paralelepipédica, o imóvel destaca-se pelo volume da torre quadrada que chanfra o seu ângulo NE, com cobertura piramidal, enquanto que o restante edifício é coberto por telhado de quatro águas. Esta zona é, por seu turno, rasgada por óculos e janelas de trapeira.
Oferecendo três frentes à rua, o acesso principal é efectuado através de uma porta de verga recta coroada por um frontão triangular, interrompido por uma varanda de cantaria assente em mísulas, e para a qual se abre uma porta realizada em verga recta, igualmente rematada por um frontão. Possuindo as três frentes uma cornija comum, ergue-se acima desta um terceiro piso, composto de torre quandrangular, sendo rasgado em três das suas faces por janelas em arco de volta inteira encimadas por frontão triangular.
Quanto ao primeiro registo, ele ostenta três conjuntos de janelas de peito ao centro, das quais três são em arco de volta inteira, encontrando-se apartadas umas das outras por intermédio de pilastras, e rodeadas por pares de janelas de verga em arco abatido com mainel decorado. Relativamente ao segundo registo, separado do precedente por um friso calcário, ele apresenta uma varanda de cantaria assente em mísulas, para a qual se abrem duas portas em arco de volta inteira, enquadradas por pilastras caneladas e coroadas por frontão triangular, de igual modo assente em mísulas.
Quanto aos elementos decorativos, merece especial destaque todo um conjunto ornamental existente nalgumas das suas salas, essencialmente realizado com a recorrência a estuques decorados, assim como os elementos decorativos de natureza vegetalista patentes nos aventais das janelas de peito em arco de volta inteira que ladeiam a varanda do segundo registo.
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

Cozinhas. Espaço e Arquitectura

Local

Lisboa

Data

2006

Autor(es)

PEREIRA, Ana Marques