Saltar para o conteúdo principal da página

Santuário do Bom Despacho, constituído pela Igreja, a sacristia, o edifício anexo, as capelas dos Passos e o espaço com forma retangular onde existe uma via-sacra e oliveiras - detalhe

Designação

Designação

Santuário do Bom Despacho, constituído pela Igreja, a sacristia, o edifício anexo, as capelas dos Passos e o espaço com forma retangular onde existe uma via-sacra e oliveiras

Outras Designações / Pesquisas

Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Santuário

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Vila Verde / Cervães

Endereço / Local

- -
Lugar do Bom Despacho

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-EM/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 (suplemento), de 31-12-2012 (ver Portaria)
Anúncio n.º 13384/2012, DR, 2.ª série, n.º 172, de 5-09-2012 (ver Anúncio)
Parecer de 5-12-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a propor a classificação como MIP
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Proposta de 28-07-2011 da DRC do Norte para a classificação como CIP
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 7-11-1995 do presidente do IPPAR
Proposta de 31-10-1995 da DR do Porto para a abertura da instrução do processo de classificação
Proposta de classificação de 15-11-1988 da CM de Vila Verde
Deliberação de 20-08-1986 da CM de Vila Verde no sentido de propor ao IPPC a classificação como IIP

ZEP

Portaria n.º 740-EM/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 (suplemento), de 31-12-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 13384/2012, DR, 2.ª série, n.º 172, de 5-09-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 5-12-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 28-07-2011 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Santuário do Bom Despacho encontra no voto de João da Cruz - o seu primeiro ermitão -, a justificação da sua existência: este homem, natural de Bela, Monção, abraçou a vida de penitente depois de ter sobrevivido a uma grave doença. Inicialmente estabelecido em Nossa Senhora da Estrela, João da Cruz mudou depois, cerca de 1640, para monte do Busto, construindo então a primitiva capela a expensas do Morgado de Azevedo, Martim Lopes Azevedo. Esta, tirou partido de um abrigo natural entre dois penedos, que ainda hoje se conserva e que constitui a capela-mor da igreja. Os Passos da Paixão "nos reconcavos delles" (dos penedos) são, de acordo com as informações de 1706, contemporâneos da capela (COSTA, tomo I, p. 251). A mesma fonte refere a muita romaria e devoção que Nossa Senhora do Bom Despacho inspirava, razão pela qual se decidiu ampliar os equipamentos originais, iniciando-se a construção do novo templo, muito possivelmente, no decorrer do último quartel do século XVII (embora a mesma fonte não faça qualquer referência a obras de ampliação).
Na verdade, no que respeita às obras, as informações são mais reduzidas. Sabe-se, apenas, que a torre Este foi construída em 1740 por ordem do Capitão-mor João de Oliveira e pelo seu irmão António de Oliveira, naturais de Cervães mas a residir no Brasil. A importância e muita frequência do Santuário podem ser atestadas pelas dimensões do templo e do terreiro que lhe é fronteiro, onde se incluem uma fonte, as dependências de apoio aos peregrinos, as cruzes da Via Sacra, o cruzeiro e as capelas da Paixão, adossadas às fachadas Norte e Oeste da igreja, e a do Calvário à direita. No topo do longo adro, a igreja ergue-se sobre uma plataforma elevada, a que se acede por uma pequena escadaria, em frente da porta principal.
A fachada é seccionada por pilastras que a dividem em três panos, correspondendo os laterais às torres sineiras. Estas elevam-se bem acima da linha do telhado, sendo abertas por pequenas frestas nos registos iniciais e, no último, pela sineira de volta perfeita. Terminam em coruchéu com balaustrada de pedra na base, e pináculos nos cunhais. O pano central, de certa forma "esmagado" pela imponência das torres, é aberto pelo portal, de verga recta, rematado por cornija saliente sobre a qual se ergue uma janela de volta perfeita flanqueada e encimada por volutas e enrolamentos. Termina numa cruz sobre esfera. No tímpano do frontão que coroa o alçado, um óculo com moldura recortada desenhando elementos vegetalistas.
No interior, de nave única revestida por silhar de azulejos de padrão polícromo, o coro alto, com balaustrada torneada de pau preto, assenta sobre arco abatido e no sub coro encontram-se dois painéis de azulejo com cenas da vida da Virgem e um nicho com a data de 1717. Do lado do Evangelho há um retábulo de talha polícroma dedicado a Santo António e uma capela com retábulo de talha dourada com uma tela representando Nossa Senhora e São José. Do lado oposto, uma outra capela com a Apresentação de Jesus no Templo .
A capela-mor apresenta um retábulo de estrutura que recorda os exemplares maneiristas, mas com uma decoração barroca. No registo inferior, dois nichos com as imagens de São João Baptista e Cristo Ressuscitado enquadram o vão central, que desenha dois arcos unidos por uma cartela central. Atrás, são visíveis os penedos da capela original, e uma estrutura com a imagem de Nossa Senhora do Bom Despacho protege a entrada da gruta. No registo seguinte, são duas telas ( Anunciação e Casamento da Virgem ) a flanquear a tribuna protegida por balaustrada. As quatro colunas pesudo-salomónicas que seccionam o retábulo prolongam-se no ático, desenhando duas arquivoltas unidas pelas aduelas.
No século XIX registam-se alguns restauros e obras de conservação, remontando a 1930 o denominado Patronato de Frei Gil (casa para rapazes abandonados), que comunica com a igreja através de um passadiço sobre arcaria. (RC)

Imagens

Bibliografia

Título

Corografia Portuguesa e descripçam topographica do famoso Reyno de Portugal

Local

Lisboa

Data

1712

Autor(es)

COSTA, Pe. António Carvalho da

Título

A Talha em Portugal

Local

Lisboa

Data

1962

Autor(es)

SMITH, Robert C.

Título

Cervães e o Bom Despacho: elementos para a história civil e religiosa da região

Local

Braga

Data

1977

Autor(es)

ARAÚJO, António de Sousa