Saltar para o conteúdo principal da página

Anta de Adrenunes - detalhe

Designação

Designação

Anta de Adrenunes

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Anta

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Sintra / Colares

Endereço / Local

E.M. Azóia - Capuchos
Adrenunes

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

Abrangido pela Zona Tampão da "Paisagem Cultural e Natural de Sintra", incluída na Lista de Património Mundial - ZEP (nº 2 do art.º 72.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, de 23 de Outubro)

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Sítio
A designada "Anta de Adrenunes" encontra-se num dos mais elevados picos da Serra de Sintra, envolta por uma vegetação que dificulta o acesso. É uma formação rochosa natural, erroneamente designada "Anta".
O Sítio é composto por um aglomerado de pequenos penedos, entre os quais se abre, do lado poente, uma galeria com cerca de cinco metros de altura, estreitando para o interior e onde pedras amontoadas, de grandes dimensões, impedem qualquer passagem. Do lado oposto, o conjunto é formado pela aglomeração desordenada de calhaus com formas e dimensões variadas. Esta galeria é encimada por longos monólitos maciços que assentam, horizontalmente, por cima de outros que se encontram na vertical. Em torno da estrutura central dispõe-se outros rochedos fragmentados que desmoronaram do núcleo granítico.
No lado poente, onde se abre a pequena galeria já mencionada, considerou-se poder corresponder a um local de deposição de enterramentos, formando assim uma possível necrópole coletiva. No entanto, não são conhecidos quaisquer artefactos que provem esta suposição.
De facto, o local não parece apresentar condições para a realização de enterramentos, o que fez com que alguns investigadores considerassem a designação de "Anta" incorreta, nomeadamente os arqueólogos Félix Alves Pereira e Paulino Montez nos anos 40 e 50 do séc. XX. Mais recentemente outros investigadores afirmaram, igualmente, tratar-se de uma designação questionável, considerando ser este um monumento "hibrido, que conjuga elementos naturais graníticos com alguns elementos arquitetónicos" (SOUSA, 1998, pág. 136). No entanto, o facto de não ser conhecido espólio proveniente do local, poderá também estar relacionado com a falta de estudos sobre este sítio desde a sua descoberta no século XIX.

História
A "Anta de Adrenunes" foi identificada pela primeira vez como sítio arqueológico em 1867 por Joaquim Possidónio Narciso da Silva, fundador da então Real Associação dos Architectos Civis e Archeologos Portuguezes, numa das suas primeiras incursões pelos arredores de Lisboa em busca de uma melhor compreensão sobre o megalitismo nacional. Embora a escavação que realizou não tivesse revelado quaisquer artefactos corroboradores da utilização funerária da estrutura, apresentou os resultados da sua investigação numa das sessões do "Congresso Internacional de Antropologia e Arqueologia Pré-Histórica" em 1871, na cidade de Bolonha, onde o atribuiu à "Idade da Pedra", descrevendo-o como um monumento funerário megalítico.
Assim, apesar de ter sido classificada como Monumento Nacional em 1910 pelo Conselho Superior dos Monumentos Nacionaes.com o nome de "Anta de Adrenunes", continua a suscitar, junto de vários investigadores, dúvidas em relação à sua real natureza.

Ana Teresa Henriques e Maria Ramalho/DGPC/2018.

Imagens

Bibliografia

Título

Possidónio da Silva (1806-1896) e o Elogio da Memória. Um Percurso na Arqueologia de Oitocentos

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

MARTINS, Ana Cristina

Título

Estudos pré-históricos em Portugal. Notícia de algumas estações e monumentos pré-históricos

Local

Lisboa

Data

1980

Autor(es)

RIBEIRO, Carlos

Título

Sintra do pretérito

Local

Sintra

Data

1957

Autor(es)

PEREIRA, Félix Alves

Título

Os monumentos préhistóricos - dólmen ou anta de Adrenunes na Serra de Cintra, Archivo Pittoresco

Local

Lisboa

Data

1868

Autor(es)

BARBOSA, Inácio de Vilhena

Título

Nova Carta Chorographica de Portugal

Local

Lisboa

Data

1910

Autor(es)

BOLAMA, Marquês de Ávila e de

Título

História da Arquitectura Primitiva em Portugal. Monumentos Dolménicos

Local

Lisboa

Data

1943

Autor(es)

MONTEZ, Paulino

Título

O Neolítico Final e o Calcolítico na área da Ribeira de Cheleiros. Trabalhos de Arqueologia, vol. 11

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

SOUSA, Ana Catarina

Título

As antas e o Megalistimo da região de Lisboa

Local

Lisboa

Data

2009

Autor(es)

BOAVENTURA, Rui