Saltar para o conteúdo principal da página

Lápide do Município de Portalegre - detalhe

Designação

Designação

Lápide do Município de Portalegre

Outras Designações / Pesquisas

Câmara Municipal de Portalegre (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Lápide

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Portalegre / Sé e São Lourenço

Endereço / Local

Praça do Município
Portalegre

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O brasão da cidade de Portalegre é composto por duas torres lado a lado, como se pode observar na composição seiscentista gravada numa das lápides que ornam a fachada principal do edifício dos antigos Paços do Concelho. Datando da primeira metade do século XVII, de acordo com uma inscrição onde se pode ler a data de 1632 como ano de arranque das obras, respeita o modelo da casa nobre barroca da região. Esta tipologia está intimamente relacionada com o fenómeno de fixação de uma nova burguesia urbana na cidade, atraída pela crescente centralidade de Portalegre ao longo dos século XVI e XVII, época na qual a recente sede episcopal vivia um período de grande prosperidade e desenvolvimento. Os reflexos desta fase ascendente encontram-se também nos edifícios principais, que enriqueciam a malha urbana e faziam de Portalegre uma verdadeira "cidade barroca", plena de símbolos de orgulho local. Entre estes estão justamente as três lápides colocadas no palácio onde funciona hoje a Câmara Municipal da cidade. A lápide classificada, onde as duas torres, de tipologia igualmente seiscentista, se perfilam enquadradas por uma moldura relevada ao modo de cartela, está colocada na pilastra esquerda da fachada, ao nível do segundo registo da mesma. Faz par com outra portando apenas a inscrição comemorativa já citada, aposta na pilastra direita. O conjunto é completado por uma terceira placa, ao centro do frontão triangular, que parece de factura distinta, e exibe as armas de Portugal, formadas pelo escudo com cinco quinas e seis castelos, sobre pequena cartela.SML

Imagens