Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo de Vila Nova de Cerveira - detalhe

Designação

Designação

Castelo de Vila Nova de Cerveira

Outras Designações

-

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Vila Nova de Cerveira / Vila Nova de Cerveira e Lovelhe

Endereço / Local

Rua do Castelo
Vila Nova de Cerveira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 735/74, DG, I Série, n.º 297, de 21-12-1974 (ver Decreto)

ZEP

Portaria de 30-08-1946, publicada no DG, II Série, n.º 252, de 30-10-1946 (sem restrições)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

São ainda discutidas as origens do castelo de Cerveira. A informação mais antiga que actualmente se conhece aponta para o reinado de D. Sancho II, altura em que Pero Novais confirmou o foral de Elvas, na categoria de alcaide do castelo de Cerveira. A opinião mais consensual (leia-se, a mais repetida pelos diversos autores que se dedicaram a esta fortaleza), contudo, aponta para que a primitiva construção do castelo tenha ocorrido apenas no reinado de seu sucessor, D. Afonso III, reinado em que está documentada a obrigação, de um vasto conjunto de populações vizinhas, em concorrer para a construção e/ou repação das muralhas. Aqui se instalou a cabeça da Terra de Cerveira, menção com que é referido o território circundante na viragem para o século XIV, mas desses primeiros tempos da fortificação nada sabemos, nem mesmo se foi logo um castelo ou uma simples torre.
A fortaleza que hoje existe é o resultado da dinâmica construtiva verificada no reinado de D. Dinis. Este monarca, em 1317, tentou atrair para a localidade uma centena de habitantes, propósito que renovou quatro anos mais tarde, pela outorga de carta de foral ao burgo. Dava-se assim cumprimento ao "reforço de uma rede urbana" fortemente vinculada à autoridade régia, que contava já com exemplos anteriores no Alto Minho, como a fundação de Caminha, em finais do século XIII (ANDRADE, 2001, p.90).
A disposição geral da fortaleza confirma a datação dionisina do projecto. De planta oval - típica das construções fortificadas góticas dessa altura -, possui oito torres quadrangulares, cinco delas relacionadas com a muralha Sul, a mais vulnerável a ataques. Esta cronologia é ainda sublinhada pela presença das armas do monarca, a encimar um portal gótico e a anteceder o que resta de um matacães, uma estrutura que permitia o tiro vertical sobre os possíveis agressores. Urbanisticamente, o interior das muralhas era definido por duas portas, ligadas, entre si, pela Rua Direita: a Sul, virada para o terreiro da feira, a Porta da Vila (mais tarde de Nossa Senhora da Ajuda), passagem imponente, de impacto cenográfico e simbólica do vínculo régio da fortaleza; a Norte, um pequeno postigo, verdadeira "porta da traição" (ALMEIDA, 1987, p.159), conduzia às margens do rio.
Posteriormente, foram muitas as alterações por que passou o castelo. Ainda na Idade Média, reinando D. Fernando ou, já no século XV, tiveram lugar reparações pontuais. Bastante mais importantes foram as campanhas da época moderna. Nos anos de 1660 a 1665, no contexto das Guerras da Restauração, D. Diogo de Lima, 8º Visconde de Cerveira, patrocinou a construção de um sistema defensivo moderno, com fossos, amuralhamentos intermédios e baluartes salientes. A vila havia sido atacada por forças espanholas logo em 1643 e, ainda que a sua importância não fosse comparável à vizinha fortaleza de Valença, foi, sem dúvida, um ponto de apoio importante na defesa da linha do Minho. Integrada nas obras seiscentistas, destaca-se a Capela de Nossa Senhora da Ajuda, uma obra que coroa a entrada principal do recinto.
Todavia, também esta segunda grande campanha de arquitectura militar não chegou íntegra até hoje. No século XIX, verificou-se a destruição sistemática deste monumento. Em 1844, destruiu-se parcialmente a torre de menagem, processo a que se seguiu a corrupção da muralha Norte, com a supressão da Porta do Cais. Posteriormente, por carta de 22 de Março de 1875, o recinto amuralhado foi doado à Câmara Municipal, que encetou, então, uma revolução urbanística na localidade, cujo principal objectivo foi o de destruir a segunda linha de muralhas, em benefício da melhoria significativa dos eixos viários que conduziam à vila.
Parcialmente transformado em Pousada de D. Dinis, o antigo castelo de Vila Nova de Cerveira mantém parte do seu encanto medieval. Ainda é possível percorrer alguns troços de muralha e, na sua rua direita, subsiste um arco gótico que pertencia ao antigo Paço medieval dos Governadores.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

"A estratégia dionisina na fronteira noroeste, IV Jornadas Luso-Espanholas de História Medieval (1998), republ. A construção medieval do território, pp.87-95 e 153-158"

Local

Lisboa

Data

2001

Autor(es)

ANDRADE, Amélia Aguiar

Título

"O património cultural do Alto Minho (civil e eclesiástico). Sua defesa e protecção, Caminiana, ano IX, nº14, pp.9-80"

Local

Caminha

Data

1987

Autor(es)

ALVES, Lourenço

Título

"A gloriosa história dos mais belos castelos de Portugal"

Local

Barcelos

Data

1969

Autor(es)

PERES, Damião

Título

"Alto Minho"

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

"Manuel Pinto de Vilalobos - da engenharia militar à arquitectura. Dissertação de Mestrado em História da Arte apresentada à Universidade Nova de Lisboa"

Local

Lisboa

Data

1991

Autor(es)

SOROMENHO, Miguel

Título

"Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I"

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

"Castelos do Distrito de Viana"

Local

Coimbra

Data

1926

Autor(es)

GUERRA, Luís Figueiredo da

Título

"Pousada de Dom Dinis no Castelo de Vila Nova de Cerveira"

Local

Lisboa

Data

1982

Autor(es)

-

Título

"Vila Nova de Cerveira: de ontem e de hoje"

Local

Gondomar

Data

1994

Autor(es)

ROCHA, J. Marques

Título

"Contributos para a História de Vila Nova de Cerveira, vol.1"

Local

Vila Nova de Cerveira

Data

1995

Autor(es)

GUERREIRO, Castro

Título

"Os Forais de Vila Nova de Cerveira: 1321-1512"

Local

Vila Nova de Cerveira

Data

1996

Autor(es)

GUERREIRO, Castro, ANTUNES, João Manuel Viana

Título

"Roteiro de Vila Nova de Cerveira"

Local

Vila Nova de Cerveira

Data

1983

Autor(es)

DIOGO, José Leal

Título

"Vila Nova de Cerveira: elites, poder e governo municipal (1753-1834)"

Local

Braga

Data

2000

Autor(es)

CAPELA, José Viriato

Título

"O Castelo de Cerveira, Cerveira Nova, nº5"

Local

Vila Nova de Cerveira

Data

1971

Autor(es)

DIOGO, José Leal