Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Alter do Chão - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Alter do Chão

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Alter do Chão(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Alter do Chão / Alter do Chão

Endereço / Local

Largo do Pelourinho
Alter do Chão

Proteção

Situação Actual

Desclassificado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Decreto n.º 24 758, DG, I Série, n.º 228, de 8-12-1934 (anulou a classificação anterior) (ver Decreto)
Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A localidade de Alter terá recebido o seu primeiro foral em 1232, no reinado de D. Sancho II, quando estava entregue à acção povoadora de D. Vicente, bispo da Guarda. Sucedem-se novos forais dados por D. Afonso III (1249) e D. Dinis (1292 e 1293), com privilégios (idênticos aos de Santarém) confirmados por D. Pedro I em 1359. Mas o pelourinho actual data seguramente dos anos imediatos ao Foral Novo de D. Manuel, atribuído em 1512, quando a vila - cujo senhorio pertencera sucessivamente à Ordem de Aviz, a D. Nuno Álvares Pereira, e à Casa de Bragança - crescia em importância e dinamismo.
O pelourinho ergue-se no largo com a mesma designação. Sobre plataforma constituída por três degraus circulares, com rebordo, levanta-se uma base cilíndrica, estrangulada no topo, rematada por um anel em torsade onde assenta a coluna. Esta é de fuste torso, constituído por dois troços separados por um anel, a meia altura. O torço inferior é dextorsum, ou torcido para a direita, e o superior é sinistorsum. O anel central é em forma de coroa vegetalista entrelaçada, com folhinhas esculpidas nos espaços abertos. O capitel segue a tipologia da base, em tronco cónico, com sucessivos estrangulamentos, sendo rematado por esfera armilar em ferro. Note-se que a base da coluna, e possivelmente outros elementos do conjunto, resultam de uma intervenção moderna (Ataíde MALAFAIA, 1997, p. 89). SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

-

Data

-

Autor(es)

-