Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Foz Côa - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Foz Côa

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Vila Nova de Foz Côa (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Vila Nova de Foz Côa / Vila Nova de Foz Côa

Endereço / Local

Largo do Município
Vila Nova de Foz Côa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A localidade de Foz Côa, situada numa região de remotíssima ocupação humana, terá integrado, nos primeiros tempos da sua povoação pós-Reconquista, um reguengo (ou terra do rei. Recebeu várias mercês das mãos de D. Dinis, que lhe concedeu o primeiro foral em 1299, tendo-se seguido outro logo em 1314. A vila recebeu foral novo de D. Manuel I, em 1514, na sequência do qual se terá erguido o presente pelourinho, de acordo com a sua feição quinhentista, embora de curiosa evocação românica, ainda assim concordante com algumas derivações da arte manuelina. Ergue-se na vizinhança da Igreja Matriz da vila, cuja fachada é igualmente manuelina, e dos Paços do Concelho.
O pelourinho é constituído por um soco de quatro degraus octogonais, sendo o térreo de factura mais rude e de aresta viva, ao modo de plataforma, e os três superiores de rebordo boleado, sobre os quais se levanta base, fuste, capitel e remate, sem grimpa. A base consta de duas plataformas octogonais molduradas e escalonadas, baixas e largas, de tal forma que se diria constituírem outros dois degraus. Sobre estas levanta-se um pilar de secção quadrada, esculpido em cada face como as ombreiras de um portal, e composto por dois troços unidos por moldura central. O pilar é moldurado e escalonado na base, e cada troço é decorado com quatro colunelos nos ângulos, mediados por ornatos em forma de fuso, florões, esferas e vieiras nas faces. A larga moldura central é decorada com laçadas e um torçal, este último repetido no topo, sob o capitel. O capitel é quadrado, com ornatos vegetalistas nos ângulos, e florões nas faces, sendo novamente rematado por um encordoado largo. Sobre este, o remate é formado por uma original combinação; em cada canto do capitel levanta-se um pináculo cónico, com decoração distinta, entre vegetalista, geométrica ou heráldica. No centro levantam-se quatro pináculos menores, também distintos entre si, compostos por sobreposições de peças de diversa configuração. Sobressai, talvez em substituição de uma grimpa, um pináculo coroado por esfera armilar e flor-de-lis. O conjunto, que causa uma certa perplexidade, assemelha-se a um tabuleiro com peças de xadrez. Alguns temas decorativos evocam obra românica, o que representa um anacronismo importante na arte manuelina. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias...

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, FERREIRA, Pedro Augusto

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

Pelourinhos das Beiras

Local

Lisboa

Data

1936

Autor(es)

CARDOSO, Nuno Catarino

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde

Título

Pelourinhos da Beira Alta, in Revista Beira Alta, vol. XXVIII

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

Pelourinhos do Distrito da Guarda

Local

Viseu

Data

1998

Autor(es)

SOUSA, Júlio Rocha e

Título

Pelourinhos Portugueses

Local

Inapa

Data

1991

Autor(es)

MAGALHÃES, Fernando Perfeito de