Saltar para o conteúdo principal da página

Convento da Graça - detalhe

Designação

Designação

Convento da Graça

Outras Designações / Pesquisas

Antigo convento de Nossa Senhora da Graça / Convento de Nossa Senhora da Graça / Igreja Paroquial da Graça / Igreja de Santo André e Santa Marinha (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Convento

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / São Vicente

Endereço / Local

Largo da Graça
Lisboa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 40 684, DG, I Série, n.º 146, de 13-07-1956 (esclareceu que a parte do Convento da Graça classificado em 1939 é apenas a não abrangida pela classificação de 1910) (ver Decreto)
Decreto n.º 29 604, DG, Série I, n.º 112, de 16-05-1939 (classificou a parte não incluída nos dois diplomas anteriores, mas por lapso referiu indevidamente um diploma de 1917 e não o de 1918) (ver Decreto)
Decreto n.º 5 046, DG, I Série, n.º 268, de 11-12-1918 (classificou a Sacristia e capelas intermédias da Igreja) (ver Decreto)
Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (classificou o Túmulo de D. Mendo Foyos, na sacristia da Igreja) (ver Decreto)

ZEP

Despacho de 18-10-2011 do diretor do IGESPAR, I.P. a concordar com o parecer e a devolver o processo à DRC de Lisboa e Vale do Tejo para apresentar propostas de ZEP individuais, ou conjuntas nos casos em que tal se justifique
Parecer de 10-10-2011 da SPA do Conselho Nacional de Cultura a propor o arquivamento
Proposta de 22-08-2006 da DR de Lisboa para a ZEP conjunta do Castelo de São Jorge e restos das cercas de Lisboa, Baixa Pombalina e imóveis classificados na sua área envolvente

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Fundado num dos morros da cidade, à época da Reconquista cristã, para frades eremitas calçados de Santo Agostinho, o Mosteiro da Graça sofreu profundas obras ao longo dos séculos, desde a campanha promovida a partir de 1556 pelo vigário-geral frei Luís de Montóia (de que resta o claustro), à que se seguiu à ruína provocada pelo terramoto de 1755, dirigida pelos arquitectos Caetano Tomás de Sousa e Manuel Caetano de Sousa, que lhe conferiu o actual carácter tardo-barroco, com planta cruciforme, nave de cinco tramos e altares de talha do final do Rococó. Estão classificados a Sacristia e as capelas intermédias da igreja, e o túmulo de D. Mendo de Foios.
A Sacristia abre (num átrio decorado com decoração azulejar dos séculos XVI, XVII e XVIII, de que se destacam os painéis com temática de "grotesco") com a notável portada barroca do tempo de D. Pedro II, atribuída a um dos arquitectos régios do tempo (Luís Nunes Tinoco ou João Antunes), com seus finos colunelos berniniescos em mármore rosa e frontão interrompido onde duas figuras de anjos sustentam o escudo de armas de D. Mendo de Fóios, secretário de Estado desse monarca, que dirigiu as obras. O espaço barroco da Sacristia alberga dois monumentais espaldares de mármore (num deles, o túmulo de Mendo de Fóios, com busto de fino lavor), o tecto alegórico por Pedro Alexandrino de Carvalho, ricos arcazes e azulejos rococó de temário mariano e algumas telas barrocas joaninas.
As capelas intermédias do corpo do templo, erguidas na campanha de Caetano Tomás de Sousa, com altares de entalhe rococó de colunas coríntias, integram uma série de boas esculturas setecentistas. Uma delas, a de Santa Rita de Cássia, esconde restos da primitiva capela do Arcanjo Rafael, com baixos-relevos da segunda metade do século XVI com cenas do Velho Testamento e com um tecto apainelado com seis pinturas alegóricas, atribuídas a Fernão Gomes e a Francisco Venegas, este último autor, também, da tábua maneirista representando Santa Maria Madalena penitente que se encontra hoje na sala abobadada de berço à esquerda da entrada do templo. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Santuário Mariano

Local

Lisboa

Data

1933

Autor(es)

SANTA MARIA, Frei Agostinho de

Título

Azulejaria em Portugal no século XVIII

Local

Lisboa

Data

1979

Autor(es)

SIMÕES, J. M. dos Santos

Título

O Azulejo em Portugal

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

MECO, José

Título

Joanni V Magnifico. A Pintura em Portugal ao Tempo de D. João V 1706-1750

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

SALDANHA, Nuno

Título

Monumentos e edifícios notáveis do distrito de Lisboa, vol. V, (1º tomo)

Local

Lisboa

Data

1973

Autor(es)

ALMEIDA, D. Fernando de

Título

Lisboa e os arquitectos de D. João V : Manuel da Costa Negreiros no estudo sistemático do barroco joanino na região de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

BERGER, Francisco José Gentil

Título

Os azulejos do Convento da Graça de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1969

Autor(es)

SOUTO, António de Azevedo Meirelles

Título

A Igreja e o Convento de Nossa Senhora da Graça, de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1939

Autor(es)

RIBEIRO, Mário de Sampayo

Título

A Arquitectura do Ciclo Filipino

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

SOROMENHO, Miguel