Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo de Leiria - detalhe

Designação

Designação

Castelo de Leiria

Outras Designações / Pesquisas

Castelo e cerca urbana de Leiria (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Leiria / Leiria, Pousos, Barreira e Cortes

Endereço / Local

Largo de São Pedro
Leiria

Largo Dr. Manuel de Arriaga
Leiria

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

Portaria n.º 201/2018, DR, 2.ª série, n.º 58, de 22-03-2018 (com ZNA) (ZEP do Castelo de Leiria e da Capela de São Pedro) (ver Portaria)
Relatório final do procedimento aprovado por despacho de 6-02-2018 da diretora-geral da DGPC
Anúncio n.º 192/2017, DR, 2.ª série, n.º 206, de 25-10-2017 (ver Anúncio)
Despacho de 12-07-2017 da diretora-geral da DGPC a aprovar a nova proposta de ZEP, visto cumprir as orientações do parecer da SPAA do Conselho Nacional de Cultura de 9-01-2017
Nova proposta de 6-04-2017 da DRC do Centro
Despacho de concordância de 18-01-2017 da diretora-geral da DGPC
Parecer de 9-01-2017 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a propor que a proposta seja revista
Informação favorável de 13-12-2016 da DRC do Centro
Proposta de 5-12-2016 da CM de Leiria para redução da ZNA da ZEP, no sentido de construir meios de acesso mecânico as castelo
Portaria de 17-05-1967, publicada no DG, II Série, n.º 134, de 8-06-1967 (com ZNA) (ZEP do Castelo e da Capela de São Pedro)

Zona "non aedificandi"

Portaria n.º 201/2018, DR, 2.ª série, n.º 58, de 22-03-2018
Portaria de 17-05-1967, publicada no DG, II Série, n.º 134, de 8-06-1967

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Monumento emblemático da história da cidade e do país, a configuração actual do castelo de Leiria resulta de quatro grandes períodos interventivos: o Românico do século XII; o Gótico dionisio, da primeira metade do século XIV; Gótico joanino, de inícios do século XV, e as correntes restauradoras de finais do século XIX e primeira metade do século XX.
Pouco sabemos acerca das primeiras obras do castelo. A sua relevância militar, numa zona de transição entre Coimbra e Lisboa, determinou a construção de um dos principais redutos defensivos do tempo de D. Afonso Henriques, mas a verdade é que o que hoje podemos observar é muito mais fruto de campanhas posteriores. A torre de menagem, de robusta secção quadrangular, é disso um exemplo, tendo sido iniciada apenas em 1324, em pleno final de reinado de D. Dinis.
A dinastia de Avis escolheu este castelo como um dos principais monumentos simbólicos da sua autoridade e poderio. O paço de D. João I é uma construção exemplar, de grande rigor construtivo e estético. Impõe-se sobre a muralha medieval, que aproveita como parede e alicerce, e organiza-se em quatro andares, de estudada racionalidade e operatividade. Os dois pisos inferiores, destinados a arrecadações e serviços domésticos, praticamente não se vislumbram do exterior, ocultados pela robusta massa pétrea do castelo. Os dois superiores possuem tal impacto visual que se assumem como imagem de marca do próprio castelo e, até, da cidade.
Destinados à família real e às recepções por si patrocinadas, são um dos mais impressionantes conjuntos de arquitectura palaciana de carácter real que nos chegaram da Idade Média. Na face virada ao burgo, sobre a muralha, uma ampla e muito restaurada loggia, de oito arcos de capitéis geminados, foi concebida como espaço de lazer e de convívio, aproveitando a panorâmica sobre a cidade (BARROCA, 2002, p.95). Para esta loggia acedia-se através de uma sala de cerca de 130m2, designada por Aula Régia ou Salão Nobre, espaço destinado, pelo monarca, à audiência e recepção. Contrapondo-se à loggia, um vestíbulo antecedia a entrada nesta sala, formando-se, assim, uma primeira linha de simetria do conjunto.
Um segundo eixo de simetria era formado pelas dependências extremas do paço, destinadas aos quartos de dormir e de privacidade da família real, dotados de andar superior (que formavam duas torres harmónicas na silhueta do conjunto) e providos de lareiras e latrinas (VIEIRA DA SILVA, 1995, p.121).
Do paço à capela palatina acedia-se por um passadiço. Essa capela não era mais que a igreja de Nossa Senhora da Pena, ou de Santa Maria do Castelo, o primeiro templo da cidade, documentado logo na década de 40 do século XII (GOMES, 1995, p.187) e que, no reinado de D. João I, foi totalmente refeita. É um pequeno templo, de nave única, com alto arco triunfal apontado, capela-mor poligonal relativamente iluminada e entrada principal lateral, enquadrada por um gablete.
A obra da igreja revela grande homogeneidade para com a do paço e constitui um dos monumentos de referência da arte gótica de inícios do século XV, ao reflectir fielmente os esquemas estéticos do grande monumento dessa centúria: o Mosteiro da Batalha. Com efeito, são muitas as características batalhinas que aqui encontramos, desde a semelhança da capela-mor para com os absidíolos de Santa Maria da Vitória, os capitéis vegetalistas a dois registos e de folhagem exuberante, até às marcas de canteiro, a maioria repetindo outras da Batalha (GOMES, 1995, p.205).
No reinado de D. Manuel, fizeram-se obras no templo, como o prova a flora e perfil das mísulas que suportam a abóbada da sacristia, mas os séculos seguintes caracterizaram-se por um progressivo abandono de toda a estrutura militar leiriense. Na segunda metade do século XIX, quando Ernesto Korrodi pertendeu intervir no conjunto, grande parte do complexo medieval estava em ruína e a sua feição actual data das grandes campanhas restauradoras conduzidas nos anos 40 do séc. XX.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Estudos de Reconstrução do Castelo de Leiria

Local

-

Data

-

Autor(es)

KORRODI, Ernesto

Título

História da Arte em Portugal - o Gótico

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, BARROCA, Mário Jorge

Título

Paços Medievais Portugueses

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

SILVA, José Custódio Vieira da

Título

A gloriosa história dos mais belos castelos de Portugal

Local

Barcelos

Data

1969

Autor(es)

PERES, Damião

Título

Leiria

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

COSTA, Lucília Verdelho da

Título

Castelos Portugueses

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

MONTEIRO, João Gouveia, PONTES, Maria Leonor

Título

Introdução à História do Castelo de Leiria

Local

Leiria

Data

1995

Autor(es)

GOMES, Saul António

Título

A Torre de Menagem do Castelo de Leiria, in Monumentos 10, DGEMN, pp. 90-93, Lisboa, Março, 1999

Local

Lisboa

Data

1999

Autor(es)

CORREIA, Luís Miguel

Título

Projecto do Castelo de Leiria, in Monumentos 13, DGEMN, pp. 122-127, Lisboa, Setembro, 2000

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

CORREIA, Luís Miguel

Título

Inventário Artístico de Portugal - Aveiro, Beja, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos