Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo de Silves - detalhe

Designação

Designação

Castelo de Silves

Outras Designações / Pesquisas

Castelo e Cerca Urbana de Silves (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Faro / Silves / Silves

Endereço / Local

- -
Silves

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

Parecer favorável de 1-10-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P. (só em vigor após publicação no DR)
Proposta de ampliação da ZEP às Muralhas e Porta da Almedina de Silves de 12-06-2008 da DR de Faro
Portaria de 25-05-1948, publicada no DG, II Série, n.º 151, de 1-07-1948 (com ZNA)

Zona "non aedificandi"

Portaria de 25-05-1948, publicada no DG, II Série, n.º 151, de 1-07-1948

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O castelo de Silves é uma das principais fortificações muçulmanas em território nacional, e uma das que em melhor estado chegou até aos nossos dias. A sua construção remonta aos inícios da dominação islâmica na península, como o parece provar as descobertas arqueológicas de espólio datável dos séculos VIII-IX (GOMES, 1989, p.34). Sucederam-se as reformulações até ao século XI, altura em que Silves atingiu o seu apogeu e ultrapassou a antiga cidade de Ossónoba, elevando-se à categoria de principal cidade do Algarve. Com efeito, sob o governo de Al-Mutamide, Silves passou a ser capital de uma taifa (reino islâmico independente), e deve datar desse período a configuração geral do perímetro amuralhado, em planta, que ainda hoje se mantém.
Cercando uma área de aproximadamente 12 hectares, a muralha possuia três portas e uma rede viária interna cruzada, com duas ruas principais. Associada à porta principal - a Porta da Almedina, ou de Loulé - o magnífico Palácio das Varandas, tão celebrado na poesia do rei-poeta Al-Mutamide, dominava toda a cidade.
Mas se a disposição geral do perímetro amuralhado pode ser atribuída ao período das taifas, o mesmo não acontece com a construção em altura, cuja tipologia aponta para a época almóada. Nessa altura, praticamente nas vésperas da conquista cristã da cidade, uma campanha de obras conferiu o aspecto geral dos volumes da fortaleza. De 1227 é uma lápide, identificada nas ruínas da Porta do Sol e originalmente associada a uma torre quadrangular que defendia esta passagem, que data a última grande reforma islâmica do castelo, fomentada pelo último rei muçulmano, Ibn al-Mahfur (GOMES, 1989, p.36).
O complexo sistema defensivo então delineado manteve a organização em duas grandes áreas, a alcáçova e a medina. A primeira, erguida no alto do cerro, era protegida por onze torres quadrangulares, duas das quais albarrãs, salientes do pano de muralha, mas comunicando com ele através de uma passagem superior, o que permitia uma mais eficaz defesa dos panos rectilíneos. No interior da alcáçova destaca-se a magnífica cisterna da Moura, um enorme depósito de água, datável do século XI, e que ocupa uma área de 820 metros quadrados, elevando-se a uma altura de 10 metros (TORRES, 1997, p.441).
A medina ligava-se à alcáçova através de uma porta protegida por duas poderosas torres. Rodeia praticamente toda a cidade, e possuia três portas, sendo que apenas a de Loulé se mantém praticamente íntegra, com o seu duplo passadiço de altos arcos de volta perfeita, protegido por uma torre albarrã, e uma estrutura inferior muito provavelmente em cotovelo (CORREIA, 2002, p.84).
As alterações que posteriormente se efectuaram no castelo de Silves não parecem ter desvirtuado a concepção geral muçulmana. Sabemos que D. Fernando e D. João I realizaram obras pontuais na fortaleza, desconhecendo-se, contudo, a amplitude dessas intervenções. Bastante mais radical foi o restauro efectuado pela DGEMN, nas décadas de 30 e de 40 do século XX. Nessa altura desobstruiram-se os panos de muralhas e refizeram-se algumas torres que ameaçavam ruir. Foi um restauro algo fantasista que destruiu, entre outros elementos, os restos do Palácio das Varandas, que Domingues Garcia ainda viu. Tal facto, contudo, não foi suficiente para afastar o estatuto desta fortaleza como uma das principais obras de arquitectura militar islâmica, ainda que tardia, que chegaram até hoje, no território nacional.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Fortificações urbanas da época islâmica no Algarve, Património islâmico dos centros urbanos do Algarve: contributos para o futuro, 2002, pp.81-90

Local

-

Data

2002

Autor(es)

CORREIA, Fernando M. R. Branco

Título

O al Garbe, 90 séculos entre a serra e o mar, pp.431-447

Local

-

Data

1997

Autor(es)

TORRES, Cláudio

Título

Testemunhos arqueologicos da conquista cristã da Alcacova de Silves

Local

-

Data

-

Autor(es)

GOMES, Rosa M. Mendonça Varela, CUNHA, Armando Santinho

Título

Castelos Muculmanos do Algarve, 90 séculos entre a serra e o mar, Lisboa, IPPAR, 1997, pp.449-457

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

CATARINO, Helena Maria Gomes

Título

Silves e a sua paisagem, Monumentos, nº23, pp.18-21

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

PESSOA, Fernando

Título

Da Silves islâmica à Silves da expansão. A evidência arqueológica, Monumentos, nº23, pp.22-29

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

GOMES, Rosa Varela

Título

O(s) centro(s) histórico(s) de Silves, Monumentos, nº23, pp.46-51

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

VALENTE, Teresa

Título

A taipa do castelo, Monumentos, nº23, pp.52-55

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

PINTO, Fernando

Título

Silves (Xelb), uma cidade do Gharb al-Andalus: território e cultura

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

GOMES, Rosa Varela

Título

Palácio Almóada da Alcáçova de Silves

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

A gloriosa história dos mais belos castelos de Portugal

Local

Barcelos

Data

1969

Autor(es)

PERES, Damião

Título

Silves. Guia turístico da cidade e do concelho

Local

Silves

Data

2002

Autor(es)

DOMINGUES, José Domingos Garcia

Título

Silves. Guia turístico

Local

Silves

Data

1958

Autor(es)

DOMINGUES, José Domingos Garcia

Título

A Sé e o Castelo de Silves

Local

Vila Nova de Gaia

Data

1954

Autor(es)

JÚDICE, Pedro

Título

Testemunhos arqueológicos da conquista cristã da alcáçova de Silves em 1189, V Jornadas Arqueológicas, LIsboa, 1994, pp.203-212

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

GOMES, Rosa M. Mendonça Varela, ANTUNES, Miguel Telles, CUNHA, Armando Santinho

Título

A arquitectura militar muçulmana, Portugal no Mundo. História das fortificações portuguesas no mundo, 1989, pp.27-37

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

GOMES, Rosa Varela

Título

O Algarve islâmico : roteiro por Faro, Loulé, Silves e Tavira

Local

Faro

Data

2002

Autor(es)

CATARINO, Helena Maria Gomes

Título

Centros históricos de influência islâmica : Tavira, Faro, Loulé, Silves

Local

Portimão

Data

2001

Autor(es)

COUTINHO, Valdemar

Título

Algarve - Castelos, Cercas e Fortalezas

Local

Faro

Data

2008

Autor(es)

MAGALHÃES, Natércia